terça-feira, maio 22, 2018

Motociclistas movimentam o Distrito de São Marcos

No sábado e no domingo, ocorreu em São Marcos o 1º Moto Fest Show no 5°. Distrito. Ao todo, o evento reuniu mais de 200 participantes de várias cidades da região, além de integrantes de grupos de motos da Argentina e Brasil. 
No sábado (19), foram realizadas a 1ª. Trilha Noturna, com pista sinalizada; e o 4º. Trilhão Beneficente, reunindo um grande número de motociclistas, que percorreram 69 kmde estrada.
No domingo (20) aconteceram as provas do 1º Veloterra de São Marcos, reunindo motociclistas de várias categorias.
O evento é de caráter beneficente e tem como uma das metas a arrecadação de donativos que serão direcionados a projetos assistenciais. Cada participante do evento, além do valor da inscrição, deveria doar 1 quilo de alimento não perecível. (PMU)

Inter faz 3 a 0 na Chapecoense e deixa o Z4 do Brasileirão

Foto: Fabiano do Amaral
O Inter cumpriu seu papel na noite desta segunda-feira no Beira-Rio. O Colorado conseguiu quebrar a sequência de seis jogos sem vencer (contando a derrota para o Vitória na Copa do Brasil), bateu a Chapecoense por 3 a 0 e saiu da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, que havia entrado com os jogos do final de semana. Lucca, Moledo e Patrick foram os responsáveis pelos gols quebrando uma negativa marca de mais de 500 minutos sem balançar as redes adversárias.
Com a vitória, o Inter chega a oito pontos e sobe para o 10º lugar na tabela do Brasileirão. O próximo compromisso colorado é no domingo, às 16h, diante do Corinthians no Beira-Rio. Victor Cuesta, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, será desfalque.
Inter inicia pressionando
O Inter entrou em campo para enfrentar a Chapecoense dentro da zona de rebaixamento por conta dos resultados do final da semana. Sem D’Alessandro, que sofreu uma entorse no tornozelo no treino de domingo, o técnico Odair Hellmann apostou em uma formação com um trio de meio-campo composto por Dourado, Edenilson e Patrick. Pottker e Lucca foram escalados abertos com Damião sendo o homem da referência no 4-1-4-1 colorado.
Como era de se esperar, o Inter teve dificuldade de articulação com essa formação. No entanto, não faltou entrega ao time. Assim, como muita disposição para marcar a Chapecoense em seu campo e velocidade pelos lados, o Colorado conseguiu pressionar os catarinenses.
O Inter teve a primeira chance da partida logo no primeiro minuto. Pottker recebeu lançamento às costas da zaga e só não entrou na área porque o goleiro Jandrei saiu para, de carrinho, evitar a finalização do jogador colorado. A Chapecoense respondeu na sequência em chute de Arthur Caique de fora da área, que Danilo Fernandes defendeu.
Aos 10 minutos, Lucca começou a aparecer como o homem mais perigoso do Inter. No primeiro lance, ele cabeceou após cruzamento de Zeca e obrigou Jandrei a fazer uma difícil defesa. Logo depois, aos 14, ele bateu falta no segundo pau, mas Dourado chegou atrasado e não conseguiu finalizar.
Patrick também teve boas chances para marcar. Na primeira, aos 15, ele chutou de primeira após bola escorada por Damião e mandou perto. Depois, Jandrei saiu para cortar um cruzamento e soltou a bola nos pés dele. Patrick tentou o chute com o goleiro caído, mas foi travado.
Chape melhora, mas Inter chega ao gol
Após a pressão inicial na base da imposição física, o Inter caiu de ritmo. A Chapecoense conseguiu organizar melhor sua marcação, o que tornou visível o nervosismo colorado. Aos 20, o time catarinense teve sua grande chance na primeira etapa. Mais uma vez foi em chute de fora da área de Arthur Caíque. Dessa vez, ele acertou a trave de Danilo Fernandes.
Como o Inter já não conseguia pressionar, a Chapecoense passou a sair mais para o jogo. Foi aí que apareceu o espaço para o contra-ataque colorado. Aos 38 minutos, Pottker arrancou em velocidade pelo lado direito e cruzou para Damião. A bola saiu forte, mas o centroavante colorado acreditou e conseguiu devolver para a área de bicicleta. Edenilson aproveitou e escorou para Lucca, que acertou um belo chute no canto de Jandrei para abrir o placar, 1 a 0. O Inter quebrava um jejum de mais de 500 minutos sem fazer gol.
Colorado é letal no segundo tempo
Em desvantagem, a Chapecoense voltou para o segundo tempo com uma postura mais ofensiva. O Inter recusou sua marcação e passou a tentar a aproveitar os espaços para as saídas em velocidade. Em lance assim, Patrick arrancou e tocou para Pottker, que não conseguiu finalizar. Damião ainda tentou o rebote, mas acabou travado na hora da chute.
Bem postado defensivamente, o Inter não correu riscos nos primeiros minutos e foi letal quando teve a oportunidade. Aos 14, Lucca bateu falta do lado esquerdo e encontrou Rodrigo Moledo, que, livre, cabeceou sem chances para Jandrei para ampliar o placar, 2 a 0, dando tranquilidade ao torcedor no Beira-Rio.
Logo após o segundo gol, Odair Hellmann sacou Edenilson, que voltava de lesão, para a entrada do garoto Juan Alano. Gilson Kleina mexeu no seu ataque na tentativa de descontar. Bruno Silva e Leandro Pereira entraram na equipe catarinense nos lugares de Guilherme e Arthur Caíque, o jogador que mais levou perigo a Danilo Fernandes no jogo.
A Chapecoense teve uma chance para marcar aos 21 em erro de Patrick. O volante colorado tentou recuar para o goleiro Danilo Fernandes, mas tocou fraco. A Chape saiu em velocidade e o gol só não aconteceu porque Dourado apareceu na hora certa para travar a bola antes da chegada de Wellington Paulista na área.
Na reta final da partida, o Odair Hellmann fez mais duas mudanças. E ambas no ataque. Pottker e Damião saíram para as entradas de Rossi e Nico López. E dos pés de Rossi nasceu o terceiro gol. Aos 40, ele cruzou para Patrick, que subiu para, de cabeça, definir o placar em goleada para o Inter: 3 a 0.
Brasileirão – 6ª rodada
Inter - 3
Danilo Fernandes; Zeca, Moledo, Cuesta, Iago; Dourado; Pottker (Rossi), Edenilson (Juan Alano), Patrick e Lucca; Leandro Damião. Técnico: Odair Hellmann.
Chapecoense - 0
Jandrei; Apodi, Luiz Otávio, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo, Canteros; Guilherme (Bruno Silva); Wellington Paulista e Arthur Caique (Leandro Pereira). Técnico: Gilson Kleina.
Gols: Lucca (38min/1T), Moledo (14min/2T), Patrick (39min/2T)
Cartões amarelos: Cuesta (INT) Bruno Pacheco, Wellington Paulista (CHA)
Árbitro: Flávio de Souza (SP)
Local: Beira-Rio. 
Fonte:Correio do Povo

Caminhoneiros realizam protestos em ao menos 26 cidades do Rio Grande do Sul

 Foto: Alina Souza
Os caminhoneiros retomaram, nesta terça-feira, os protestos contra o aumento do preço do óleo diesel no Rio Grande do Sul. As manifestações ocorrem às margens de rodovias estaduais e federais de 19 cidades. Até as 11h, não havia registro de bloqueios de estradas.
Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), grupos de caminhoneiros se reúnem em rodovias de Três Cachoeiras, Uruguaiana, Camanquã, Ijuí, Carazinho, Santa Maria, São Sepé, São Gabriel e Júlio de Castilhos. Nos nove pontos, os manifestantes impedem apenas a passagem de caminhões, para que - ainda em atividade - participem do protesto.
Já nas rodovias estaduais, são nove estradas com manifestações. Há protestos em Taquara, São Sebastião do Caí, Viamão, Santo Antônio da Patrulha, Gravataí, Cachoeirinha, Montenegro, Araricá, Santa Cruz do Sul e Cachoeira do Sul. Em alguns casos, os grupos estão apenas aglomerados às margens das estradas e, em outros, os caminhões são parados.
Na beira da ERS 118, entre Cachoeirinha e Sapucaia do Sul, o caminhoneiro Eder Vicente da Costa destacou que o protesto deveria ser coletivo porque os prejuízos são para todos. Ele citou que os reajustes dos combustíveis vão pesar mais forte também  nos motoristas de carro e no preço das mercadorias.
A adesão e compreensão ao movimento foi notada diante dos buzinaços pelos motoristas de carros ao passarem pelo ponto de protesto. No local, quando foi feito o bloqueio, formou-se uma longa fila de caminhões. Mesmo os demais veículos podendo seguir viagem, o trânsito ficou lento, gerando engarrafamento. Apesar de o ato ser pacífico, quem tentava romper o bloqueio acabava sendo coagido por alguns manifestantes na beira da rodovia. "Temos que estar todos juntos, mas também tenho compromisso de entregar a carga no prazo. Daí fica complicado", comentou um caminhoneiro, ao ser obrigado a parar.
Confira os protestos
ERS 020: km 28, em Taquara: cerca de 30 pessoas participam do ano. Não há bloqueios.
- ERS 122: km 16, em São Sebastião do Caí:  cerca de 50 pessoas participam do ato. Somente caminhões são parados, para se juntarem a manifestação.
ERS 040: km 28 ao 21, em Viamão: cerca de 40 pessoas. Trânsito livre.
ERS 474: km 01, em Santo Antônio da Patrulha: cerca de 40 pessoas. Caminhoneiros são convidados a parar, demais veículos têm trânsito livre.
ERS 118: km 9, em Gravataí: cerca de 50 pessoas reunidas às margens da rodovia.
RSC 287: km 78, em Santa Cruz do Sul: cerca de 30 pessoas - apenas aglomeração.
ERS 471: km 220, em Cachoeira do Sul: cerca de 30 pessoas - apenas aglomeração.
ERS 239: km 34, em Araricá: manifestação às margens da via.
RSC 287: km 2, em Montenegro: manifestação as margem da via.
Federais 
BR 101: km 22, em Três Cachoeiras: bloqueio apenas de veículos de carga.
BR 290: km 219, em Uruguaiana: bloqueio apenas de veículos de carga.
BR 285: km 461, em Ijuí: bloqueio apenas de veículos de carga.
BR 116: km 397, em Camaquã: bloqueio apenas de veículos de carga.
BR 285: km 337, em Carazinho: bloqueio apenas de veículos de carga no trevo do avião.
BR 158: km 267, em Júlio de Castilhos: sem interrupção do trânsito. Os caminhoneiros são parados para participarem da mobilização.
BR 392: km 350, em Santa Maria: manifestação ocorre no estacionamento de um posto de combustível.
BR 392: em São Sepé: a manifestação ocorre junto ao posto de combustível Cotrisel.
BR 290: km 417, em São Gabriel: apenas os caminhões são parados.
Nessa segunda, passou de 30 o número de pontos em que os caminhoneiros bloquearam ou realizaram manifestações contra a alta do diesel. Em entrevista à Rádio Guaíba, o presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros (ABCam), José Fonseca Lopes, mencionou que, no entendimento dele, o melhor era apenas paralisar as atividades e não realizar protestos: “Eu não queria fechamento de rodovia, sou contrário, o que eu peço é que o caminhoneiro fique em casa, com a família. Se fizer durante cinco dias, resolve tudo. Mas como cada cabeça é uma sentença, a gente não consegue resolver dessa maneira”, ponderou, lembrando que o anúncio de mais um aumento dos combustíveis elevou as tensões. (Correio do Povo)

Após 5 altas, Petrobras anuncia redução do preço do diesel e da gasolina

Foto: Marcelo Camargo
Com a política de preços para os combustíveis da Petrobras adota desde o ano passado, que altera quase diariamente o preço médio nas refinarias, os preços da gasolina e do diesel subiram nesta terça, mas terão queda já na quarta. A próxima redução será a primeira após cinco dias de altas consecutivas.
Com o reajuste que entrará em vigor nesta terça, o preço médio do litro da gasolina sem tributo nas refinarias será de R$ 2,0867, com alta de 0,90% em relação à média atual de R$ 2,0680. O valor médio nacional do litro do diesel subiu para R$ 2,3716, 0,97% maior do que a medida atual de R$ 2,3488. Já com a queda na quarta, o preço médio do litro da gasolina sem tributo nas refinarias será de R$ 2,0433, com queda de 2,08% em relação à média atual de R$ 2,0867.
No mês de maio, o combustível acumula alta de 13,6%. O valor médio nacional do litro do diesel caiu para R$ 2,3351, 1,54% menor do que a medida atual de R$ 2,3716. No mês, o produto acumula alta de 10,6%.
Alta acumulada

Desde que a Petrobras iniciou sua nova política de preços para os combustíveis, em 3 de julho do ano passado, o óleo diesel subiu 56,5% na refinaria, segundo cálculos do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) - passou de R$ 1,5006 para R$ 2,3488 (sem contar os impostos). O aumento acompanhou a cotação do petróleo no mercado internacional, exatamente a intenção da estatal. Mas, para os caminhoneiros, essa alta vem tornando sua atividade inviável.
O governo fez uma reunião na noite da segunda-feira para discutir a questão, mas não conseguiu chegar a uma decisão. Nesta terça, haverá mais rodadas de reuniões. A primeira delas será pela manhã, no Ministério da Fazenda, onde o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, recebe o presidente da Petrobras, Pedro Parente, e o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco. Eles deverão tentar encontrar uma forma de evitar oscilações tão frequentes no preço da gasolina e do diesel no mercado doméstico.
Sobe e desce
A Petrobras repassa a variação da cotação do petróleo no mercado internacional, para cima ou para baixo. Desde que alterou sua política de preços, em julho do ano passado, a estatal passou a promover reajustes quase diários dos combustíveis. A companhia refuta que seja responsável pela alta de preços ao consumidor e diz que o valor cobrado pela empresa corresponde a cerca de um terço dos preços praticados nas bombas.
Maior parte do valor cobrado pelo consumidor final engloba principalmente tributos, estaduais e municipais, além da margem de lucro para distribuidoras e revendedores. Segundo a estatal, as revisões podem ou não refletir para o consumidor final - isso depende dos postos. Mas os donos de postos também apoiam a reivindicação dos caminhoneiros, pois dizem estar perdendo margens com os aumentos de preços. (Correio do Povo)

segunda-feira, maio 21, 2018

Caminhoneiros protestam contra a alta do preço do diesel em rodovias do Rio Grande do Sul e de outros Estados brasileiros

Foto: Divulgação
Caminhoneiros realizam uma mobilização nacional nesta segunda-feira (21) contra o aumento no preço do diesel no País. Os trabalhadores fazem protestos em estradas do Rio Grande do Sul e de pelo menos mais 15 Estados. Os preços do diesel e da gasolina voltam a subir nas refinarias a partir desta terça-feira (22). Segundo a Petrobras, a gasolina subirá 0,9%, e o diesel 0,97%. A escalada no valor acontece em meio à disparada dos preços internacionais do petróleo.
A Petrobras disse que as revisões de preço podem ou não refletir para o consumidor final – isso depende dos postos. Segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de 8% neste ano. O valor está bem acima da inflação acumulada em 2018, de 0,92%, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
Entre os Estados em que há manifestações dos caminhoneiros, além do Rio Grande do Sul, estão Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo.
Rio Grande do Sul
Por volta das 6h, em São Sebastião do Caí, no Vale do Rio Caí, caminhoneiros bloquearam a ERS-122, na altura do quilômetro 16. Com a chegada da Brigada Militar, a via foi liberada. Em Taquara, no Vale do Paranhana, manifestantes bloquearam o tráfego na ERS-020, queimando pneus às margens da rodovia.
A ERS-118, em Sapucaia do Sul, na Região Metropolitana de Porto Alegre, também foi bloqueada. Na Freeway, foi registrada queima de pneus embaixo do viaduto que dá acesso à fábrica da GM (General Motors), em Gravataí. Por volta das 4h, o fogo já havia sido controlado, de acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal).
Outro ponto de protesto é o trecho da BR-101 em Três Cachoeiras, no Litoral Norte do Estado, perto da divisa com Santa Catarina. Os manifestantes abordam caminhoneiros pedindo para aderirem à paralisação, mas não impedem a passagem dos outros veículos.
No início da noite de domingo, manifestantes queimaram pneus na BR-116, em Pelotas, na Região Sul, bloqueando a rodovia. Em Camaquã, houve queima de pneus às margens da estrada.
Distribuidoras
Em Goiás, grupos de caminhoneiros fecharam várias distribuidoras de combustíveis nas cidades de Goiânia e Senador Canedo. Além de protestarem contra o aumento do preço do diesel, a categoria reivindica a criação de um piso para o frete pago pelas empresas.
Na capital paulista, quatro caminhões ocuparam as quatro faixas da Marginal Pinheiros e seguiram bem lentamente para reduzir a velocidade dos veículos que estavam atrás. O protesto começou pouco antes da altura da Ponte Estaiada, no sentido Castelo Branco. Na Zona Leste, pelo menos 12 caminhões realizam um ato parecido na avenida Jacu Pêssego, causando grandes transtornos no trânsito da cidade. (O SUL)

Brasil recebe na quinta-feira certificado de país livre da febre aftosa

Foto: Arthur Puls 
Enquanto trava uma dura batalha com os europeus, que restringiram suas importações de frango e pescados, o Brasil recebe na próxima quinta-feira o certificado de país livre da febre aftosa, concedido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), com sede em Paris.
A aftosa é uma doença que ataca rebanhos de bovinos e outros animais de casco bipartido. Seu controle facilita a abertura de mercados para exportação.
"O novo status sanitário concedido por esta renomada Organização representa o reconhecimento da vitória de uma longa e dura trajetória de muita dedicação de pecuaristas e do setor veterinário oficial brasileiro", disse o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em discurso proferido mais cedo na cerimônia de abertura da 86ª da assembleia da OIE. O certificado atestará que a febre aftosa está controlada em todo o território brasileiro, por meio da aplicação de vacinas.
A exceção é Santa Catarina, que dispensa a vacinação desde 2007. "Nosso novo grande desafio será enfrentar a etapa final do processo de erradicação da doença em nosso país e na América do Sul, ampliar nossas zonas livres sem vacinação, e, em especial no Brasil, alcançar a condição de país livre da febre aftosa sem vacinação", afirmou o ministro.
Para chegar a essa condição, reconheceu, é preciso avançar na prevenção, vigilância e resposta a emergências que venham a ocorrer. "Serão necessários muito mais investimentos no serviço veterinário brasileiro", disse. Antes de Paris, Maggi esteve na semana passada na China, onde iniciou conversas para vender outros produtos de origem bovina, como carne termicamente processada, cuja venda só será possível por causa do certificado a ser emitido pela OIE.
Em reunião com a área da aduana que trata de controle sanitário, foi tratada a exportação de miúdos e carne com osso, mas também de outros itens, como arroz, frutas e lácteos. Uma missão técnica chinesa deverá vir ao Brasil no final deste mês ou início de junho para vistoriar frigoríficos.
A expectativa é que até 84 plantas sejam autorizadas e exportar para aquele mercado. Além disso, na semana passada, o governo da Coreia do Sul anunciou que começará a importar carne suína do Brasil, um mercado potencial de US$ 1,5 bilhão. Segundo o ministro, a pecuária representou um Valor Bruto da Produção de R$ 175 bilhões em 2017. No período, as exportações do complexo carne aumentaram 8,9%, somando US$ 15,5 bilhões. Restrições Por outro lado, os controles brasileiros sobre a produção de proteína animal têm sido duramente questionados pela Europa. Na semana passada, a União Europeia bloqueou a compra de frango de 20 frigoríficos brasileiros, por suspeita de uso de laudos sanitários falsos. Eles também informaram ao Brasil que vão descredenciar as plantas exportadoras de peixe. Nesse caso, porque as embarcações brasileiras não atendem aos padrões exigidos pelo bloco. "Isso não é implicância da UE", disse o consultor Pedro de Camargo Neto, ex-presidente da Sociedade Rural Brasileira. "O problema é a lentidão do Brasil em mostrar sua sanidade." Ele observou que a Carne Fraca já tem mais de um ano, mas o País segue com fragilidades no controle sanitário. Por causa da Carne Fraca, os EUA fecharam seu mercado à carne bovina in natura brasileira e até hoje não retomaram suas importações. "Choramos nossas derrotas, continuaremos nossas batalhas, mas precisamos ressaltar nossas conquistas", disse Maggi ao Estado. "Também não gosto (das restrições dos europeus), mas preciso continuar acreditando." (Correio do Povo)

Grêmio esbarra na retranca do Paraná e fica no 0 a 0

 Foto: Lucas Uebel 
Nem sempre o domínio do jogo é sinônimo de bom resultado. O Grêmio voltou a sentir isso neste domingo. Assim como no Gre-Nal na semana passada, o Tricolor controlou todo a partida, mas apenas empatou em 0 a 0 com o Paraná no estádio Durival de Britto. Nem mesmo as mudanças de Renato Portaluppi foram suficientes para dar a vitória ao Tricolor, que careceu de criatividade e sentiu saudades da ousadia de Everton. 
Grêmio dominador, mas sem criatividade
Na caça aos primeiros colocados e por uma melhor posição antes da parada da Copa, o Grêmio iniciou o jogo contra o Paraná com uma formação modificada, sem Geromel, Arthur e Everton, peças importantes da espinha dorsal do time de Renato Portaluppi. Nem por isso o time gaúcho mudou o seu estilo de jogo. Com paciência e toque de bola, a equipe tentou encontrar espaços para atacar, mas sempre esbarrava no bom posicionamento da defesa dos paranaenses.
A superioridade técnica do Grêmio falava mais alto e o controle da bola e, por consequência, do jogo, era natural para o time gaúcho. O Paraná, por sua vez, se concentrava em marcar os principais atletas das ações ofensivas gremistas. Luan era o mais visado, tanto que aos 13 minutos recebeu uma entrada forte do lateral esquerdo Mansur e saiu indignado do lance. A arbitragem, porém, entendeu como um lance normal e sequer deu cartão amarelo.
A marcação forte do Paraná não abalou o Grêmio, que seguiu em cima do adversário. Instalou acampamento na intermediária de ataque e ali procurava criar uma chance de gol. Os atacantes André e Maicosuel ainda não tinham encontrado uma brecha para concluir a gol e por isso ainda apareciam como figuras apagadas no jogo.
Paraná priorizou a marcação, mas ainda conseguia sair em contra-ataque. As tentativas, porém, não eram bem construídas, até o porque o Grêmio induzia o inimigo ao erro. A peça mais ativa dos donos da casa era Silvinho. Veloz, o meia-atacante tentava acelerar o jogo para Henrique e Carlos, mas as jogadas terminavam com conclusões sem direção ou com passes errados.
Aos 30 minutos, o jogo seguia com o panorama inalterado. Grêmio com o seu adversário encurralado, cercado, mas não sabia como finalizar. Sem Everton, o Tricolor ficou refém das bolas paradas, na maioria das vezes proporcionadas pelas faltas em cima de Luan. Aos 36 minutos, na melhor delas, o camisa 7 lançou a bola para a área e André cabeceou. Para azar do centroavante, a conclusão foi alta demais. O primeiro tempo chegou ao fim com um Grêmio carente de criatividade e um Paraná grato por ter sobrevivido aos 45 minutos iniciais.
Tricolor cresce no final, mas goleiro do Paraná brilha 
Sem modificações no intervalo, o Grêmio voltou para o jogo com o mesmo problema de antes. A falta de agressividade do time gaúcho parecia que tinha sido solucionada aos cinco minutos, quando Ramiro fez uma combinaçã com Maicosuel pela direita e cruzou para André dentro da área. O centroavante surgiu livre e só tocou de chapa para o fundo das redes. A comemoração, no entanto, nem chegou a ser feita porque o árbitro Rodrigo Batista marcou impedimento do camisa 90.
Por outro lado, o Paraná apresentou uma mudança sensível em sua postura. Depois de passar muito tempo aceitando o domínio do adversário, o time da casa passou a apresentar algumas tentativas de saídas rápidas para o ataque, reações de quem gostaria de arriscar mais dentro do jogo. A qualidade era o que faltava, já que Silvinho carregava o time nas costas, principalmente no que diz respeito às ações ofensivas.
Uma alteração no placar passava por uma intervenção de Renato Portaluppi. Aos 22 minutos, o técnico decidiu agir e fez logo duas mudanças de uma vez só. Cícero e Pepê entraram nas vagas de Jailson e Maicosuel. Enquanto o Grêmio tentava superar as próprias dificuldades, o Paraná passou a apreciar mais o jogo.
Silvinho ganhou mais espaço com as mudanças de peças gremistas e aos 30 minutos construiu o melhor lance dos donos das casa. Ele puxou o contra-ataque pelo lado esquerdo e lançou Caio Henrique. O meia-atacante fintou a marcação de Maicon e arriscou o chute de fora da área. A bola passou perto do travessão de Grohe.
Em uma medida já conhecida, o técnico Renato Portaluppi tirou o lateral Léo Moura para entrada do garoto Lima. Ramiro, dessa forma, passou a ser o lateral direito. A mudança surtiu efeito e foi ele quemn apareceu no flanco para criar o melhor lance do Grêmio na partida. Ele cruzou para André, o centroavante cabeceou e Thiago Rodrigues fez uma grande defesa.
Aos 41, um replay da jogada anterior. Ramiro fez o cruzamento da direita e Cícero entrou de peixinho. Ele cabeceou bem, mas a bola não fez a direção correta e saiu pela linha de fundo, para alívio do goleiro Thiago Rodrigues. O arqueiro ainda teve mais trabalho, quando Lima arriscou de fora da área aos 51 minutos e o jogador do Paraná fez uma boa intervenção. 
Brasileirão 2018 - 6ª Rodada
Paraná 0
T. Rodrigues; Junior, Neris, Cleber Reis e Mansur; Vilela (Léo Itaperuna), Jhonny Lucas, Torito e Caio Henrique (Alex Santana); Carlos e Silvinho.
Técnico: Rogério Micale
Grêmio 0
Marcelo Grohe; Leo Moura, Kannemann, Bressan e Cortez; Maicon, Jailson (Cícero), Ramiro e Luan; Maicosuel (Pepê) e André.
Técnico: Renato Portaluppi
Cartões Amarelos: Carlos (P); Pepê (G)
Árbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Local: Durival de Britto, Paraná 
Fonte:Correio do Povo

quinta-feira, maio 17, 2018

A Polícia Federal informou que não encontrou menção ao sítio de Atibaia nos sistemas usados pela Odebrecht para gerenciar o pagamento de propinas

Foto: Reprodução
Em laudo juntado na quarta-feira (16) ao processo contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, referente às obras no sítio de Atibaia, no interior de São Paulo, a PF (Polícia Federal) diz não ter encontrado menções ao imóvel nos sistemas usados pela Odebrecht para gerenciar o pagamento de propinas. De acordo com o laudo, foram analisados 11 discos rígidos e dois pendrives que contêm os dados dos sistemas Drousys e MyWebDay, utilizados pelo Setor de Operações Estruturadas da empreiteira.
“Não foram encontradas, no contexto da ação penal, até a data de emissão deste laudo, nas pesquisas efetuadas no material examinado (Sistema Drousys e Sistema MyWebDay), documentos ou lançamentos que façam referências a termos tais como Atibaia, Sítio e Santa Bárbara”, escreveram os peritos.
A PF, entretanto, diz ter encontrado uma planilha que supostamente registra os gastos do caixa 2 da empreiteira com reformas no sítio em Atibaia (SP) usado pelo ex-presidente. O documento foi anexado à ação penal em que Lula é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
De acordo com a força-tarefa da Operação Lava-Jato, o sítio pertence ao ex-presidente Lula e as reformas foram custeadas como forma de repasse dissimulado de propina. Segundo os procuradores, o ex-presidente recebeu propina de R$ 1,02 milhão de Odebrecht, OAS e Schahin por meio de obras feitas no imóvel.
A acusação é baseada na delação premiada do engenheiro Emyr Diniz Costa Júnior que disse ter recebido R$ 700 mil para a compra de materiais e serviços relacionados à obra. Costa Júnior entregou ao juiz Sérgio Moro uma planilha no mesmo valor, em novembro de 2017 e, segundo o engenheiro, o pagamento teria saído do departamento de propinas da empreiteira.
De acordo com o laudo, foram identificados dois pagamentos de R$ 300 mil e R$ 400 mil que totalizam os R$ 700 mil usados em Atibaia. Os valores, de acordo com os peritos, saíram da obra “UO011203 –AQUAPOLO”.
A obra é a mesma cujo nome aparece nos documentos apresentados pelo engenheiro da Odebrecht à Justiça Federal no Paraná. Para os peritos, os valores são oriundos de dinheiro de obras da Petrobras. A defesa do ex-presidente Lula nega que ele tenha recebido benefícios ou vantagens indevidas. (O SUL)

DNIT busca parceria com a Prefeitura de Uruguaiana para instalação de balança móvel na BR 290

Uma parceria entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Prefeitura de Uruguaiana pode fazer com que seja instalada uma balança móvel junto à BR 290, no trecho do Km 710. Essa proposta foi apresentada pelos representantes do órgão federal, Hiratan Pinheiro e Pablo May, na manhã desta quarta-feira (16), em reunião realizada com o prefeito Ronnie Mello. 
Esse foi o principal assunto tratado entre os representantes do DNIT, que buscam a viabilidade da formação de uma parceria entre o órgão federal e o Poder Executivo para a colocação de uma Unidade Móvel Operacional Dinâmica (UMO-D), que serviria para a realização da pesagem de caminhões que trafegam pela rodovia, a chamada balança móvel. A ideia é de que a unidade opere durante 44 horas semanais.
Com o contrato assinado seria necessário a contratação de um técnico operador do sistema de pesagem, dois técnicos auxiliares de apoio a pesagem e um motorista.
Esteve acompanhando o encontro o secretário adjunto de Governo, Frederico Pellegrini. (PMU)

SBT promove debates entre pré-candidatos ao governo do Estado Rio Grande do Sul

SBT RS promoverá entrevistas diárias, com duração de 15 minutos, com os pré-candidatos ao governo do Rio Grande do Sul. As discussões acontecerão durante o telejornal SBT Rio Grande em 28 de maio a partir das 12h20. O apresentador Marcelo Coelho será o responsável por conduzir as perguntas aos convidados.   
Entre os assuntos pautados, estão saúde, segurança, educação e a situação financeira do Estado. Até o momento, confirmaram presença os aspirantes ao comando do Palácio Piratini: Abigail Pereira (PC do B),Eduardo Leite (PSDB), Jairo Jorge (PDT),  Luis Carlos Heinze (PP), Mateus Bandeira (Novo), Miguel Rossetto (PT) e Roberto Robaina (Psol).
Segundo o coordenador do SBT Eleições 2018, Matheus Giglio, o objetivo do programa é conhecer as ideias dos pré-candidatos para áreas importantes da vida dos gaúchos, além de informar o eleitor sobre as propostas, antecipando como será a disputa. Ainda, uma reportagem com um resumo de cada entrevista irá ao ar no SBT Rio Grande 2ª edição, às 19h20.
Em parceria com o UOL e a Folha de São Paulo, a emissora promoverá debates no primeiro e segundo turnos com os aspirantes confirmados. O primeiro confronto acontecerá em 19 de setembro, das 18h25 às 19h45, e, caso haja segundo turno, haverá outro em 10 de outubro, no mesmo horário. As discussões serão conduzidas pelo jornalista Felipe Vieira, que apresenta o SBT Rio Grande 2ª Edição desde abril.
Conforme o editor regional do SBT RS, Danilo Teixeira, o proposito do horário diferente, mais cedo, é atingir um público que poucas vezes tem a chance de acompanhar um debate na TV. "A maioria das emissoras realiza tarde da noite. Então, outras praças da emissora também vão realizar as discussões para governo nessa hora", disse. (Coletiva.Net)

segunda-feira, maio 14, 2018

Mulher confessa ter matado companheiro com facada em Passo Fundo


Uma mulher de 25 anos assumiu a autoria da morte de seu companheiro, Rodrigo de Moraes Belloni, de 27 anos, na noite de sábado (12), na Vila Annes, em Passo Fundo. Ela apresentou-se à Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) no fim da tarde de domingo (13).

Em depoimento, a mulher disse que eles estavam juntos havia cinco anos e tiveram diversas brigas nesse período. Afirmou ter sido agredida pela vítima. “Ela disse que o relacionamento era conturbado. No começo, ele agredia ela e, depois, ela revidava”, disse o chefe de investigações da DHPP, Volmar Menegon. Em 2015, a mulher registrou um boletim de ocorrência contra Rodrigo devido a ameaças e agressões.

Conforme a autora confessa, no sábado à tarde, o casal saiu para assistir ao clássico Gre-Nal e ingeriu bebida alcoólica. “Em determinado momento, ela pediu para ele parar de beber e começou um atrito. Eles voltaram para casa em vias de fato e brigaram no apartamento. Com o barulho, os vizinhos chamaram a Brigada Militar”, disse Menegon.

Por isso, uma guarnição foi ao local e encontrou o Rodrigo bêbado, na rua, segundo a investigação. Mas como não havia acontecido nada naquele momento, os policiais foram embora. Depois, Rodrigo teria ido ao apartamento acreditando que a mulher tivesse acionado a BM. “Eles, então, começaram a brigar de novo e ela acabou desferindo um único golpe de faca na região do pescoço, da clavícula, dele”, completou o chefe de investigações.

Depois, a autora confessa pediu ajuda e levou a vítima para o Hospital da Cidade (HC), mas Rodrigo não resistiu aos ferimentos e morreu. Inicialmente, a mulher responderá o crime em liberdade. Os envolvidos não tinham antecedentes criminais. Outras testemunhas serão ouvidas antes do encerramento do inquérito. (Diário AM)

Tite convoca jogadores para a Copa da Rússia

Foto: CBF
O técnico Tite anunciou na tarde desta segunda-feira, na sede da CBF, no Rio, o grupo de 23 jogadores que tentarão conquistar o hexacampeonato na Copa do Mundo da Rússia, e não apresentou nenhuma grande surpresa.
A maior expectativa era em relação aos laterais-direitos, depois da contusão que tirou Daniel Alves da Copa do Mundo. Tite optou pelos jogadores que mais testou na posição quando não utilizou o seu titular absoluto, casos de Fagner e Danilo.
Assim, a maior novidade da relação foi Taison, o quarto atacante da relação de convocados. Os outros são Roberto Firmino, Gabriel Jesus e Neymar, que ainda não voltou a jogar pelo Paris Saint-Germain após se recuperar de fratura no quinto metatarso do pé direito.
De resto, Tite manteve a base que construiu durante todo seu trabalho à frente da seleção, o que incluiu a recuperação da equipe nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo até levá-la a ser a primeira equipe a se classificar para o torneio na Rússia.
O Brasil estreia em 17 de junho, enfrentando a Suíça, em Rostov On Don. Depois, pega a Costa Rica, no dia 22, em São Petersburgo, e encerra a participação no Grupo E contra a Sérvia, no dia 27, em Moscou.
A seleção brasileira se apresenta no dia 21, próxima segunda-feira, para um período inicial de treinos na Granja Comary, em Teresópolis (RJ). Nessa primeira fase, serão realizadas avaliações físicas e os primeiros treinos com bola. Mas o grupo não estará completo. Casemiro e Marcelo, do Real Madrid, e Roberto Firmino, do Liverpool, só se apresentam na Europa, pois em 26 de maio participam da final da Liga dos Campeões da Europa, em Kiev.
A delegação viaja para Londres no dia 27. Na Inglaterra, fará a fase final de preparação até 8 de junho, incluindo um amistoso contra a Croácia, no dia 3, em Liverpool. No dia 9, o grupo viaja para Viena, onde enfrenta a Áustria em 10 de junho. O embarque para Sochi, quartel-general da seleção na primeira fase da Copa, será depois da partida.
Confira os 23 convocados do Brasil para a Copa do Mundo:
Goleiros: Alisson (Roma), Ederson (Manchester City) e Cássio (Corinthians).
Laterais: Fagner (Corinthians), Danilo (Manchester City), Marcelo (Real Madrid) e Filipe Luis (Atlético de Madrid).
Zagueiros: Thiago Silva (Paris Saint-Germain), Miranda (Inter de Milão), Marquinhos (Paris Saint-Germain) e Pedro Geromel (Grêmio).
Meio-campistas: Casemiro (Real Madrid), Fernandinho (Manchester City), Paulinho (Barcelona), Fred (Shakhtar Donetsk), Renato Augusto (Beijing Guoan), Philippe Coutinho (Barcelona) e Willian (Chelsea).
Atacantes: Gabriel Jesus (Manchester City), Roberto Firmino (Liverpool), Douglas Costa (Juventus), Taison (Shakhtar Donetsk) e Neymar (Paris Saint-Germain). (O SUL)

Inter segura pressão do Grêmio e consegue empate em 0 a 0

Foto: Fabiano do Amaral
O Grêmio mandou na bola, teve chances e reclamou de pênaltis sonegados, mas foi o Inter que saiu contente com um 0 a 0 batalhado, neste sábado na Arena, em confronto válido pela 5ª rodada do Brasileirão. O Tricolor manteve seu estilo de passes envolventes, enquanto o Colorado fustigou nos contra-ataques ocasionalmente. No fim, um ponto para cada lado, com mais satisfação da metade vermelha do Rio Grande do Sul.
Com o resultado, o Grêmio chega a oito pontos na vice-liderança, mas deve cair na tabela com o seguimento da rodada. O Inter, por sua vez, ocupa o 13º lugar, com cinco pontos, colocação igualmente ameaçada pelo restante da rodada. Agora, os gremistas pensam em Libertadores contra o Monagás, dia 15; enquanto o Inter volta a campo no dia 21 contra a Chapecoense, pelo Brasileirão.
Grêmio retém a bola desde o início
O Inter iniciou a partida adiantando linhas e obrigando o Tricolor a sair com bolas longas, mas a iniciativa durou pouco e, logo, o Grêmio já comandava a posse de bola. Ainda assim, produziu pouco ofensivamente e as chances foram limitadas dos dois lados. Aos três minutos, Leandro Damião tentou um chute consagrador em clássicos, porém encobriu a meta de Marcelo Grohe. Com um pouco mais de mira, o objetivo seria o ângulo direito. O Grêmio respondeu e, aos 13, não moveu o placar por um passo a mais de Madson. O lateral foi lançado por Luan nas costas da zaga, se esticou, mas não conseguiu empurrar para a meta.
Perigoso nos contragolpes, o Inter quase levantou sua torcida aos 15 minutos. Damião foi lançado por Rodrigo Moledo e chutou cruzado da quina direita da área. Marcelo Grohe fez defesa segura. Já passando da metade da etapa, o garoto Éverton deu o ar da graça, mas sem sentir o sabor do gol. Aos 25, Éverton recebeu na área pela esquerda, driblou Moledo e tentou o chute no ângulo, mas a bola subiu demais. Depois, experimentou da meia-lua e arriscou o chute forte, mas mandou longe do poste esquerdo.
A melhor chance da etapa, porém, foi aos 37 minutos. Luan leavantou escanteio no meio da área e Geromel subiu soberano de cabeça. A bola caprichosamente roçou o travessão no canto direito. Ficou tudo igual antes do intervalo.
Inter segura o empate
Se o Grêmio terminou fustigando, iniciou perdendo o gol mais feito da partida, no primeiro minuto da etapa final. Luan foi lançado na esquerda e cruzou na pequena área. Danilo Fernandes ficou batido no contrapé, mas André bateu embaixo da bola e isolou por cima uma oportunidade claríssima.
Os gremistas voltaram a ter chance aos sete minutos, depois que Kannemann foi derrubado em grande arrancada para contra-ataque. Luan cobrou colocado, com muito efeito, mas desviou também do poste direito. Na resposta colorada, Rossi perdeu a que seria sua última chance do jogo. Iago puxou contra-ataque na esquerda e centralizou para Rossi. De costas, ele conseguiu girar na meia-lua e fazer o chute cruzado. Grohe não alcançou, mas a bola saiu ao lado da meta. Em seguida, o atacante foi substituído por Juan Alano.
O jogo esfriou por vários minutos, em termos ofensivos, enquanto aquecia em encontrões e reclamações com o árbitro. Aos 30, Alisson escapou no corredor direito e tentou surpreendeu Danilo Fernandes. Bateu com efeito de muito longe, encobriu o goleiro, mas também tocou para fora.
A partida ganhou polêmica aos 31 minutos. Madson tentou cruzar na área e a bola bateu no braço de Victor Cuesta. O árbitro aguardou o auxiliar e, como não houve manifestação, os donos da casa alegaram que tiveram um pênalti sonegado. Na sequência, André saiu para a entrada de Thonny Anderson.
Madson desperdiçou mais uma enorme oportunidade aos 35. Madson desviou de cabeça para boa defesa de Danilo. Sobrou para Geromel sem goleiro, mas o zagueiro furou e permitiu à zaga despachar. No lance seguinte, o Tricolor tocou de pé em pé até chegar em Luan. O atacante tentou o chuto no ângulo esquerdo, mas passou acordando as corujas em tiro de meta.
A essas alturas, o Colorado fazia o possível para segurar o 0 a 0, enquanto Renato lançou Lima e Cícero nos lugares de Éverton e Arthur, em busca de alternativas para vencer. Já nos acréscimos, Luan foi lançado por Cícero na cara do gol, não conseguiu o chute e desabou pedindo pênalti. Este não foi, ficou na reclamação.
Brasileirão 2018 - 5ª Rodada
Grêmio 0
Grohe; Madson, Kannemann, Geromel, Bruno Cortez; Maicon, Arthur (Cícero), Alisson, Luan; Everton e André (Thonny Anderson). Técnico: Renato Portaluppi
Inter 0
Danilo; Fabiano, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta, Iago; Rodrigo Dourado, Zeca (Gabriel Dias), Patrick e Rossi (Juan Alano); Lucca e Leandro Damião (Brenner). Técnico: Odair Hellmann
Cartões Amarelos: Patrick (I); André (G); Lucca (I); Damião (I); Kannemann (G); Maicon (G);
Árbitro: Wilton Sampaio
Local: Arena
Público: 51.870 torcedores.
Fonte:Correio do Povo