quarta-feira, novembro 22, 2017

Jogo Cuphead ganhou um desenho animado



Nos últimos meses, CupHead estava liderando absurdamente em todas as plataformas de jogos, também haviam muitas gameplays e streaming de jogadores apaixonados por esse jogo. Definitivamente, ele foi um sucesso, trazendo uma violência absurda, a nostalgia de games – Super Mário Bros – , e a dificuldade incomum.







E claro que o game gerou muitos subprodutos, mas imagina se ele virasse um desenho animado, imaginou?
Então, Foi isso que o animador hotdiggedydemon fez em uma animação, imaginando o que acontece quando os personagens de Cuphead morrem, e como eles voltam a ter suas canecas e copos restaurados, e ainda que não haja legendas em português.







Ficou irado, né?
Vale lembrar que o trabalho dele é digno de aplausos, os desenhos são realmente bem desenhados e a dublagem é sensacional, eles são sempre bem humorados, e claro que eu vou deixar alguns trabalhos pra você conferir:







Esse é um dos meus preferidos, que mostra o Luigi tirando um dia de folga:







Cuphead está disponível para PCPS4 e Xbox One.

Na 1ª batalha pelo tri, Grêmio recebe o Lanús nesta quarta

A imortalidade não vem de graça, deve ser conquistada. Foi assim que grandes guerreiros viraram heróis e deixaram seu nome na história ao longo do tempo. No caso do Grêmio, 10 anos, 5 meses e dois dias até a equipe dirigida por Renato Portaluppi chegar à mais uma final de Libertadores da América. O Tricolor busca o tão almejado tricampeonato - venceu em 1982 e 1995. Na primeira conquista, Renato, então o veloz ponteiro do time comandado por Valdir Espinosa foi peça-chave. Em 1995, sob o comando de Felipão, Paulo Nunes e Jardel destroçaram defesas como castelo de cartas.
Ninguém chega por acaso numa decisão. Ainda mais de Libertadores. Com o Grêmio não foi diferente. O grupo consistente, forte, organizado taticamente e de qualidade técnica foi sendo moldado desde a Copa do Brasil de 2016, quando mais de 50 mil gremistas comemoraram o título numa Arena pulsante e com alma. Renato vislumbrava ali uma base para uma trajetória exitosa no torneio mais importante da América. Houve perdas, sim, mas o Grêmio conseguiu provar que é um grupo e não um time. Chegaram peças importantes: Lucas Barrios, vindo do Palmeiras; Michel, do Atlético-GO e Arthur, destaque das categorias de base do Tricolor. O meio-campo, aliás, é o setor mais cerebral do Grêmio. Acelera e cadencia. Marca e ataca. Luan assumiu sua condição de craque e tem sido cada vez mais protagonista. Foi assim na semifinal contra o Barcelona-EQU. O centroavante Lucas Barrios mostrou que tem garra e alma copeira: foi decisivo contra o Botafogo. Durante os últimos dias, Renato fechou os treinos do Grêmio. Tudo para acertar cada detalhe do jogo da final. Deve ter ensaiado jogadas, cobranças de falta. Não deve ocorrer mudança na equipe. Os 11 que entrarão em campo às 21h45min na Arena devem ser Marcelo Grohe; Edílson, Geromel, Kannemann, Cortez; Jaílson, Arthur, Ramiro, Luan; Fernandinho e Barrios.
Da mesma forma, ninguém ouse duvidar do Lanús. A equipe atua junto há várias temporadas, possui um padrão de jogo definido. Tem um atacante poderoso, Sand e dois meias ofensivos que jogam com maestria. Pelos lados conta com os velozes Alejandro Silva e Lautaro Acosta. Porém, a defesa não é uma fortaleza. O goleiro passa insegurança e um dos zagueiros carece de técnica. Na sua campanha até a decisão eliminou dois campeões: San Lorenzo e River Plate, numa virada histórica. Do lado argentino, o treinador poupou seus jogadores em várias rodadas do Campeonato Argentino, o que pode ter feito a equipe titular perder algum ritmo, porém, quando trata-se de final de Libertadores, isto não deve ser considerado. O técnico Jorge Almirón tem um time definido: Andrada; Gómez, Herrera, Braghieri e Velázquez; Martínez, Marcone e Pasquini; Silva, Sand e Acosta e um esquema: controle da bola, troca rápida de passes e ataque em contragolpe. O Lanús ainda não têm uma Libertadores e deve vir ávido para entrar no seleto grupo de campeões.
A verdade é que Geromel, Grohe, Kannemann, Luan, Barrios, entre outros estão perto de gravar, a ferro e fogo, seus nomes na história do Grêmio, perto de terem seus nomes imortalizados na memória da torcida gremista. Renato Portaluppi conhece o caminho da glória. Sabe o que siginifica erguer a taça Libertadores. E deve passar isto a cada um dos seus comandados.
É na casa tricolor que os primeiros 90 minutos desta histórica Libertadores da América - a 1ª disputada no novo formato - começará a ser decidida.
Libertadores 2017 - Final 
Grêmio 
Marcelo Grohe; Edilson, Geromel, Kannemann e Cortez; Jaílson, Arthur, Ramiro e Fernandinho; Luan e Lucas Barrios. Técnico: Renato Portaluppi. 
Lanús 
Andrada; José Gomez, Guerreño, Braghieri e Velázquez; Iván Marcone, Pasquini, Martinez e Gozález; Acosta e José Sand. Técnico: Jorge Almirón. 
Árbitro: Julio Bascuñán (Chile). 
Local: Arena
Horário: 21h45min

terça-feira, novembro 21, 2017

ESPN diz que Grêmio teria usado drone para espionar o Lanús


Antes da final da Libertadores com o Lanús, o Grêmio se envolveu em uma polêmica com o time argentino. O canal ESPN flagrou, próximo ao estádio La Fortaleza, na sexta-feira, um cinegrafista supostamente contratado pelo clube para espionar o adversário na decisão. A prática, segundo a ESPN teria sido utilizada também com outros adversários na competição.
"Com o auxílio de um drone ou usando câmeras escondidas em árvores, prédios e muros, a equipe de Renato Gaúcho teve acesso aos segredos e estratégias de todos os seus rivais: escalações, jogadas ensaiadas, esquemas táticos", escreveu a ESPN em seu site.

Um vídeo publicado pelo canal mostra o cinegrafista com um drone nas mãos nas cercanias do La Fortaleza. Ao ser abordado pela reportagem da ESPN, o homem negou ter envolvimento com o Grêmio e disse que só fazia registros fotográficos da atividade.
— Não trabalho, amigo. Só faço foto — afirmou o cinegrafista.
Depois da abordagem da ESPN, o cinegrafista foi detido por duas horas pela polícia de Lanús e teve registrado em um documento que estava espionando o clube argentino. Ainda segundo a ESPN, o Grêmio também teria utilizado a prática contra o Barcelona, de Guayaquil, Botafogo e Godoy Cruz, que teriam tido suas jogadas mapeadas pelo drone.
A direção do Grêmio nega envolvimento com o caso do drone. GaúchaZH tentou contato com os dirigentes após a divulgação da reportagem da ESPN, mas nenhum atendeu ao telefone. (GauchaZH)

Alvaro Dias (Podemos) lança pré-candidatura a presidente em 2018


O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) confirmou, na manhã dessa sexta-feira (17), no Rio de Janeiro, a pré-candidatura à Presidência da República para as eleições de 2018. Ao lado dele, o também senador Romário (Podemos-RJ) anunciou a intenção de concorrer ao governo do Estado do Rio de Janeiro, segundo informou o portal UOL. O evento marcou ainda a filiação do deputado estadual Bebeto ao partido. O ex-jogador, que cumpre seu segundo mandato, se desligou do PDT.

Há mais de quatro décadas na gestão pública, Alvaro Dias atacou veementemente a classe política. “Entro nesse desafio com a confiança e a certeza de que podemos mudar esse quadro. Roubaram o Rio de Janeiro, assaltaram o Brasil. O que roubaram lá atrás é o que falta agora nos hospitais e na segurança pública. Portanto, são ladrões e assassinos e têm de ser presos”, disse.

Romário mostrou estar alinhado com o parceiro de partido e também destacou a necessidade de reconstrução da política. “A política hoje está um caos. A corrupção está entranhada nos parlamentares, seja no Executivo, no Legislativo ou no Judiciário. E o Rio de Janeiro é o número um. Mas hoje vemos grandes nomes da política pagando o preço da sacanagem que fizeram por muitos anos. O Rio hoje passa por dificuldades por causa do roubo desses corruptos e ladrões”, afirmou Romário.

Nos últimos dias, o cenário político do Rio ferveu com as prisões dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB. Os peemedebistas são alvos da operação Cadeia Velha, que apura crimes de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e associação criminosa.

“Se fosse uma ação no Senado, eu votaria pela permanência deles na prisão e pela perda de mandato. Mas, tratando-se de Alerj, infelizmente vai acabar prevalecendo não o que é justo, mas a relação de amizade, o corporativismo”, concluiu Romário.


Popularidade

Datafolha. No último levantamento divulgado pelo Datafolha, em 1º de outubro, Alvaro Dias apareceu com uma margem entre 3% e 5% das intenções de votos, em todos os cenários expostos. Em contrapartida, foi um dos candidatos com menor rejeição: 22%, atrás apenas do ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, com 21%.

Lula. Na mesma pesquisa, o ex-presidente Lula (PT) apareceu em primeiro lugar nas intenções, com margem entre 35% e 36%, seguido de Jair Bolsonaro (PSC), com 16%, e Marina Silva (Rede), com 14%. (Folha)

segunda-feira, novembro 20, 2017

Marinha da Argentina reforça busca por submarino nas profundezas do mar

Apesar das condições meteorológicas advsersas, com ondas de até seis metros e ventos acima dos 80 km/h, a Marinha argentina reforça as buscas pelo submarino ARA San Juan, desaparecido na úlima quarta-feira. A operação agora conta com o apoio do esquadrão de resgate de submarinos dos Estados Unidos, permitindo ampliar a procura pela embarcação nas profundezas do mar. Além disso, uma navegação inglesa escaneia a profundiade do ocean através de uma sonda.
A Marinha Argentina está confiante com as buscas, principalmente depois de o San Juan tentar contato via satélite no domingo. De acordo com o porta-voz da Marina, Enrique Bilbo, a tripulação do submarino ainda tem comida e oxigênio. De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, o San Juan faria uma viagem de dez dias, mas tinha suprimento para 15.
O submarino com 44 tripulantes perdeu a comunicação na última quarta-feira quando fazia o trajeto entre o Ushuaia (sul da Argentina) e a Base Naval de Mar del Plata. As buscas pela embarcação ja completaram 80% da área estipulada pela Marinha, que foi delimitada a partir do ponto em que foi feito o último contato com o submarido.
A Marinha da Argentina conta com todo tipo de embarcações e aviões nas buscas. Participam da investigação aeronaves militares, científicas e, até, barcos pesqueiros. Equipamentos de ao menos cinco países também auxiliam os argentinos.
A Marinha do Brasil e a Força Aérea Brasileira (FAB) enviaram três embarcações e duas aeronaves para o Sul da Argentina. O navio brasileiro Almirante Maximiliano chegou ao ponto do último contato dos militares argentinos com a embarcação, mas o tempo ruim dificulta as buscas. (Correio do Povo)

“Não acho difícil ganhar essas eleições”, disse Lula em congresso do PCdoB

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que “não vai ser difícil” ganhar as eleições presidenciais de 2018, mas defendeu uma mudança de estratégia dos partidos de esquerda para barrar as propostas do governo Michel Temer no Congresso. Ele avaliou que a oposição está “fragilizada” e lamentou que não tenha conseguido impedir o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a aprovação de propostas como a reforma trabalhista.
Durante o 14º Congresso do PCdoB, nesse domingo, Lula declarou que, se a oposição não tomar cuidado, a reforma da Previdência também acabará aprovada. “Não tenho mais idade de ficar criando movimento ‘fora Temer’ e ele estar dentro, de ficar gritando não vai ter golpe e ter golpe. Vamos ter que parar de gritar e evitar que isso aconteça mesmo. Isso não pode continuar acontecendo debaixo da nossa barba.”
Lula afirmou que o governo Michel Temer é “fraco”, mas conta com apoio da maioria do Congresso para defender “interesses do mercado”. “Os congressistas que estão votando pelo desmonte não têm compromisso conosco. Nunca vi tanto deputado reacionário, tanto troglodita, e se não tomarmos cuidado vai piorar na próxima eleição”, disse. Um militante da plateia gritou que a solução seria “pegar em armas”, e ele respondeu rindo que era melhor “nem falar isso”. “Eu não sei usar [armas].”
Em seu discurso, Lula voltou a desafiar os procuradores e o juiz federal Sérgio Moro “a provar um real de sua vida que não seja legal”. Para Lula, os investigadores inventaram mentiras sobre ele, e agora “não conseguem mais sair”. “Se tem político com rabo preso por causa do que a [Operação] Lava-Jato está fazendo, eu não tenho rabo para prender. Não estou acima da lei, só quero respeito”, disse.
“Quando a polícia entra na casa de alguém, adora mostrar dinheiro, joia, mas quando entra na minha e dos meus quatro filhos, revira tudo, levanta colchão, e não encontra nada, esses sacanas deveriam ter coragem de chamar a imprensa e dizer que na casa do Lula não tinha nada”, afirmou.
Ele disse não possuir os R$ 24 milhões que a Procuradoria da República pretende bloquear. Em pedido encaminhado à Justiça Federal, no âmbito da Operação Zelotes, na última quinta-feira, os procuradores pediram para confiscar R$ 21,4 milhões em bens do petista e mais R$ 2,5 milhões de seu filho, Luiz Cláudio. (Osul)

Congresso Nacional deve debater nesta semana o aborto, o porte de arma e o fim do foro privilegiado

A Câmara dos Deputados e o Senado devem discutir pautas polêmicas nesta semana, como a que proíbe o aborto em todas as circunstâncias, a que libera o porte de arma e a proposta que acaba com o foro privilegiado. Os deputados também devem retomar, no plenário, a análise de projetos na área de segurança pública, como o que prevê aumento de pena para o crime de estupro coletivo.
Na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, pode ser votado o projeto que legaliza os jogos de azar. E o relator de um texto que libera o porte de arma pretende fazer a leitura de seu parecer favorável à proposta.
Câmara
Na terça-feira (21), a votação do projeto que, na prática, veta o aborto em qualquer situação deve ser concluída na comissão especial da Câmara. O texto-base foi aprovado há duas semanas e falta a análise de destaques, que são sugestões para alterar o conteúdo do texto.
Defensores da proposta querem incluir na Constituição a garantia do direito à vida “desde a concepção”. Deputados contrários argumentam que a medida pode levar a questionamentos judiciais inclusive nas circunstâncias hoje permitidas por lei: em caso de estupro, quando há risco para a vida da mulher ou se o feto for anencéfalo (não possuir cérebro). A aprovação na comissão provocou forte reação de parte da sociedade civil e gerou protestos pelo País.
Também na terça, a Comissão de Constituição e Justiça deve votar um parecer a favor da PEC (proposta de emenda à Constituição) que prevê o fim do chamado foro privilegiado por crimes comuns. Na prática, acaba com o direito de autoridades, como ministros e deputados, de responderem a processos em instâncias superiores. A proposta mantém o foro apenas para os presidentes da República, da Câmara, do Senado e do STF (Supremo Tribunal Federal).
O texto já passou pelo Senado e, se for aprovado na CCJ da Câmara, será analisado por uma comissão especial a ser criada. Depois, ainda precisará passar por dois turnos de votação na Câmara, onde terá que receber o apoio de pelo menos 308 dos 513 deputados. No plenário da Câmara, constam dez medidas provisórias, incluindo três que mudam regras do setor de mineração.
Pacote segurança
Entre os projetos de segurança pública que podem ser votados está um que tenta acabar com o “auto de resistência”, como são classificados os casos de mortes pelas mãos de policiais, também chamados homicídios decorrentes de intervenção policial (antes denominados autos de resistência).
O texto especifica procedimentos para apurar esses casos. Defensores da medida dizem que o objetivo é evitar que eventuais excessos nas ações policiais não sejam investigados sob o argumento de cumprimento do dever. No entanto, não há consenso entre os partidos e críticos ao projeto afirmam que as polícias já seguem um protocolo de investigação.
Senado
Após uma semana sem analisar propostas, o Senado tem pautas de votações com vários projetos no plenário e também na CCJ. A pauta do plenário tem 12 itens, entre eles um projeto que altera a legislação eleitoral para estabelecer o voto distrital misto nas eleições para deputados e vereadores.
Outra proposta vincula a arrecadação com impostos federais incidentes sobre derivados do tabaco ao Fundo Nacional de Saúde. Há ainda projetos para prorrogar o prazo de bolsas de estudos em casos de maternidade e adoção e para criar o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Segurança Pública.
Segurança pública
A pauta da CCJ está recheada de propostas relacionadas à segurança pública. Uma delas tipifica o crime de porte de arma branca, com pena de detenção de um a três anos, além do pagamento de multa. Outra proposta aumenta as penas para adultos que utilizam crianças e adolescentes para a prática de crimes.
Um terceiro projeto permite que guardas municipais atuem no combate ao crime organizado na região das fronteiras interestaduais. Há ainda uma proposta que autoriza a aquisição de uma arma de fogo de uso permitido por residentes em áreas rurais.
Armas e jogos
Na CCJ do Senado, também podem ser discutidos dois projetos polêmicos. Uma proposta revoga o Estatuto do Desarmamento e libera a compra, a posse e o porte de arma para maiores de 18 anos. Pela proposta, será necessária a comprovação de bons antecedentes, aptidão psicológica e capacidade técnica.
O outro projeto legaliza os jogos de azar no País, entre eles o jogo do bicho, o bingo e jogos de cassinos em complexos integrados de lazer. Pelo projeto, parte da arrecadação com a tributação dos jogos iria para a área de segurança pública.

Para reduzir gastos, o governo federal quer rever a distribuição de remédios no País

Um dos mais conhecidos programas do Ministério da Saúde, o Farmácia Popular, iniciativa que oferta medicamentos gratuitos ou com até 90% de desconto, deve passar por mudanças. Para o setor farmacêutico, as medidas o colocam em risco.
Após fechar cerca de 400 farmácias da rede própria que mantinha no programa, o governo quer agora mudar o modelo de pagamento para farmácias particulares credenciadas. Hoje, há cerca de 30 mil estabelecimentos que ofertam os medicamentos no Aqui Tem Farmácia Popular, nome dado ao eixo do programa na rede particular.
Para o ministro da Saúde, Ricardo Barros, o objetivo é reduzir gastos, tidos como mais altos do que na compra centralizada de remédios no SUS (Sistema Único de Saúde). Representantes do setor e sanitaristas, porém, dizem que as novas propostas colocam o programa em xeque. Hoje, farmácias recebem um reembolso do governo a cada produto dispensado, com base em uma tabela de valores de referência pré-definidos para cada um deles.
O governo quer renegociar esses valores. De acordo o ministro, a ideia é propor um novo cálculo, definido por um preço base no atacado e 40% de margem para compensar os custos de aquisição e distribuição dos produtos. Hoje, não há uma margem padrão, o que leva à diferença de valores, justifica. “Vamos atualizar os preços para esse momento do mercado”, disse. “Se fizermos essa margem, economizaremos R$ 600 milhões ao ano.”
O programa, criado em 2004 no governo Lula, custa R$ 2,7 bilhões. Há ainda um modelo alternativo em estudo, semelhante ao aplicado nas lotéricas. As farmácias receberiam um valor fixo pelo procedimento de entrega do medicamento, não importa qual deles entregou. Neste caso, os medicamentos seriam do Ministério da Saúde.
As mudanças, porém, dependem de negociação com o setor. Segundo Sérgio Barreto, da Abrafarma, associação que reúne as redes de farmácias, os preços sugeridos na proposta, e que preveem redução de até 60%, não compensam os custos. “Estão partindo de uma base que não está correta. Não consigo receber menos do que paguei para a indústria.” Para ele, a medida pode inviabilizar o programa.
Posição semelhante tem representantes da indústria. “Nos parece perigoso que um dos poucos êxitos seja posto em xeque e ameaçado”, diz Antônio Britto, da Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa).
Para ele, não é possível comparar o valor de compras do SUS com o do Farmácia Popular, por serem situações e volumes diferentes de compra – o Ministério tem citado o exemplo da insulina, que custa R$ 10 o frasco para o SUS e R$ 26 no reembolso. “Estamos preocupados. Qualquer redução nos valores pode sim causar problemas ao programa porque não tivemos reajustes nos últimos anos”, diz Nelson Mussolini, do Sindusfarma.
O ministro afirma que, caso não haja um acordo, a pasta pode voltar a distribuir todos os medicamentos da lista apenas no SUS. “Se não quiserem fazer nessa margem que estamos propondo, vamos centralizar a compra e fazer [a entrega] na nossa rede, que já está paga.”
Neste caso, diz ele, os valores pagos ao programa seriam direcionados a complementar as verbas de assistência farmacêutica, assim como ocorreu no fechamento das unidades próprias. Questionado se isso não indicaria o fim do programa, ele minimiza: “Tem 1.500 municípios do Brasil que não têm Farmácia Popular nem rede própria nem conveniada. E nem por isso deixam de receber os medicamentos”. O ministro nega prejuízos à população no acesso a remédios. “O que afeta o acesso é pagar caro por algum medicamento.”
Já Arthur Chioro, que foi ministro da Saúde na gestão Dilma Rousseff, tem visão oposta. “O que observamos em relação ao Farmácia Popular é uma desmontagem do programa”, afirma ele, que lembra que o programa foi criado para aumentar o acesso a medicamentos para doenças mais comuns e, assim, reduzir custos com internação.
“O Farmácia Popular não substitui o SUS. Ele foi pensado para dar retaguarda a usuários de planos que não têm garantia de cobertura de medicamentos, que tem peso significativo sobre o orçamento das famílias”, diz. “Extinguir o Farmácia Popular é colocar todo mundo em concorrência no SUS novamente”, completa. (OSul)

Projeto sobre recuperação fiscal deve ser encaminhado hoje à AL

O governo do Estado deve encaminhar nesta segunda-feira à Assembleia o projeto que busca autorização da Casa para adesão do Rio Grande do Sul ao Plano de Recuperação Fiscal. A proposta é consideravelmente objetiva e não aborda todas as exigências feitas pela União para viabilizar a transação.
Pelo menos três itens, no entanto, constarão no texto da matéria que será discutida e votada pelo plenário do Legislativo gaúcho durante a convocação extraordinária, na semana entre o Natal e o Ano Novo. São eles, a proibição da realização de novos saques na conta dos depósitos judiciais, a realização de leilão entre os credores do Estado, visando deságio dos valores devidos com o objetivo de estabelecer perspectiva de pagamento e a redução de 10% na concessão de incentivos fiscais.
Também irão integrar o pacote do governo, relativo à pauta da convocação extraordinária, as três propostas de emenda constitucional, visando, de forma individual, acabar com a necessidade de realização de plebiscito antes de definir o destino da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE), Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e Sulgás, projetos relativos a ações na segurança pública e os de alterações no Instituto de Previdência do Estado.
Para evitar que as propostas corram o risco de serem retiradas da pauta da convocação extraordinária, por meio de manobra parlamentar permitida no regimento interno, obrigatoriamente, as que ainda não estão em tramitação, precisam ser protocoladas na Assembleia pelo governo até quarta-feira. (Correio do Povo)

Reservas do Grêmio perdem por 1 a 0 para o Santos

Os reservas do Grêmio fizeram um bom primeiro tempo, mas perderam chances e viram o Santos aplicar o castigo. O resultado foi uma derrota por 1 a 0 na Vila Belmiro, com um futebol pobre apresentado por ambas as equipes na etapa final neste domingo.
Com o resultado, o Tricolor estaciona em 61 pontos e vê o Peixe encostar com 59 na luta pelo vice-campeonato. Agora, o foco é todo na final da Libertadores, quarta-feira na Arena contra o Lanús. Depois, no domingo, os gremistas encaram o Atlético-GO.
Apesar de mandar a campo reservas e garotos da base, o Grêmio fez frente ao Santos no primeiro tempo. Inclusive, teve as melhores chances de marcar. Sofreu, contudo, o gol no contra-ataque após repetição de falhas defensivas.
Quem brilhou primeiro, contudo, foi o goleiro Paulo Victor. Aos 8 minutos, Bruno Henrique cobrou escanteio e Jael tirou parcialmente de cabeça. Alisson pegou de primeira na sobra. A bola quicou no gramado e entraria no ângulo esquerdo, mas o goleirão saltou no reflexo para tirar de soco.
O Grêmio deu sinal de vida aos 15 minutos. Kaio recebeu na intermediária e arrancou com a bola. A dois passos da meia-lua, soltou a bomba, mas Vanderlei conseguiu espalmar no canto direito.
Tricolor desperdiça e recebe o castigo
Vanderlei voltou a salvar os donos da casa dois minutos depois. Machado foi lançado na direita e rolou para a área. Patrick estava a dois passos do gol, com a meta à disposição, mas chutou fraco e em cima do goleiro. Aos 18, Machado cobrou falta na esquerda, a bola desviou na barreira e quase entrou no ângulo.
O Tricolor seguiu tocando bem a bola e ocupando o campo de ataque, mas sem acertar a mira. Aos 29, Jael ajeitou no peito e serviu Dionathã. O guri enfiou o pé e merecia um o golaço, mas bateu no poste do ângulo direito.
Era o Grêmio que pressionava, mas uma sequência de erros resultou no gol do Peixe, aos 31 minutos. Cristian fez um passe errado para a área, a zaga afastou. Kaio errou o bote de cabeça no meio e sobrou para Copete. Em velocidade, ele invadiu a área e tocou por cobertura na saída de Paulo Victor, anotando o 1 a 0.
O Santos cresceu e só não marcou por conta de Paulo Victor. O goleiro tirou no ângulo um cabeceio no contrapé de Ricardo Oliveira. No lance seguinte, Copete foi lançado na esquerda, nem Leonardo nem Bressan deram combate. Veio o cruzamento e Bruno Henrique subiu sozinho para cabecear. Para sorte da equipe gaúcha, mandou para fora.
Antes do intervalo, o Grêmio ainda teve duas chances de empatar. Aos 41, Leonardo foi lançado na direita e cruzou com açúcar para Jael. O centroavante cabeceou firme, mas mandou sobre a meta santista. Quatro minutos depois, Cristian lançou na direita, Leonardo fez grande cruzamento para Jael, mas o centroavante perdeu mais um. Subiu livre entre dois e testou por cima.
Com a vantagem no placar, o Santos fechou espaços e passou a apostar nos contragolpes. Só que o Grêmio também não mostrou muita iniciativa, deixando o jogo truncado.
Poucas chances e inspiração
Aos três minutos, porém, Jael foi lançado por Leonardo na área, mas correu atrasado. Na cara do gol, viu a bol passar a poucos centímetros dos seus pés. O Grêmio teve a chance em escanteio, aos 8 minutos. Kaio cobrou baixo, a zaga tirou parcialmente e Bressan tentou o chute no rebote, mas mandou o voleio por cima.
Paulo Victor teve que trabalhar aos 10. Copete fez bom lançamento na direita. Cristian chegou atrasado e Bruno Henrique conseguiu invadir a área. Experimentou o chute cruzado, mas o goleiro gremista espalmou.
Nos minutos finais, a equipe tricolor ensaiou uma pressão, mas desorganizada. Jael viu a bola passar perto duas vezes na área, mas sem chegar a tempo para concluir. O Santos ensaiou um contragolpe certeiro para matar o jogo, mas Bruno Henrique parou na marcação de Bressan. Fim de jogo e vitória magra para os santistas.
A partida se arrastou até os 28 minutos. O Grêmio cercando a área, viu passe errado de Leonardo abrir contragolpe. Ricardo Oliveira recebeu, invadiu a área da esquerda e chutou forte, mas Paulo Victor fechou o ângulo, evitando o gol.
Brasileirão 2017 – 36ª rodada
Santos 1
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Luiz Felipe e Jean Mota; Alison, Renato, Vecchio (Daniel Guedes) e Copete (Arthur Gomes); Ricardo Oliveira (Orinho) e Bruno Henrique. Técnico: Elano.  
Grêmio 0
Paulo Victor; Leonardo, Thyere, Bressan e Conrado; Cristian, Machado, Patrick (Batista) e Kaio (Pepê); Dionatã (Lucas Poletto) e Jael. Técnico: César Bueno. 
Gol: Copete, aos 31/1º; 
Cartões amarelos: Lucas Veríssimo (S); Alison (S); Kaio (G); Jael (G); 
Árbitro: Péricles Cortez (PE)
Local: Vila Belmiro, São Paulo.  (Correio do Povo)

Inter vence Goiás e segue com chances de conquistar o título da Série B

O Inter venceu o Goiás por 2 a 0 na tarde deste sábado no estádio Serra Dourado e manteve a chance de conquistar o título da Série B. Além da vitória, o Colorado foi beneficiado pelo empate do América-MG com o Londrina, no Paraná, em duelos válidos pela 37ª e penúltima rodada da competição.
Os dois gols colorados no Serra Dourada foram marcados por William Pottker no segundo tempo em passes de Camilo – que entrou no lugar de Eduardo Sasha e mudou a partida. Um pouco antes, o árbitro Héber Roberto Lopes anulou um gol legal do Goiás por um motivo que não ficou explicado.
Para ficar com o título da Série B, o Inter precisa vencer o Guarani na última rodada no Beira-Rio e torcer para o América-MG não derrotar o CRB em Belo Horizonte. Os dois jogos estão marcados para as 17h30min do sábado que vem.
O jogo
O técnico interino do Inter Odair Hellmann fez uma mudança no posicionamento do time para o jogo contra o Goiás, com Edenilson recuado para atuar ao lado de Rodrigo Dourado e D'Alessandro adiantado. A equipe, assim, saiu do 4-1-4-1 dos tempos de Guto Ferreira para o 4-2-3-1.
O Inter sofreu no começo do jogo com a nova formação. Com D'Alessandro adiantado, faltou qualidade para o time sair de trás. Assim, o Colorado passou a primeira parte da etapa inicial sem ameaçar o gol de Marcelo Rangel.
O Goiás por sua vez levava perigo, principalmente com o centroavante Gustavo. Logo aos 13 minutos, ele iria receber às costas da zaga colorada, mas acabou derrubado por Thales. Uma falta que não se tornou perigosa porque Bambu exagerou na força e mandou por cima do gol de Danilo Fernandes.
Gustavo ainda levou perigo mais duas vezes na primeira etapa. Aos 26, ele recebeu passe de Nathan dentro da área e deu um toque na saída de Danilo Fernandes, mas mandou por cima. Na sequência, o centroavante do Goiás ganhou de Thales após cruzamento de Elyeser, girou e finalizou para fora.
O Inter finalizou pela primeira vez no gol do Goiás somente aos 31 minutos. E foi quando apareceu o lado positivo do novo posicionamento de D'Alessandro. O camisa 10 apareceu dentro da área para receber bola escorada por Leandro Damião e bateu, de primeira, com força. O gol só não saiu porque Marcelo Rangel mostrou muito reflexo no lance. D'Ale ainda teve mais uma conclusão perigosa aos 36. Da entrada da área, ele arriscou o chute e bola desviou na zaga antes de sair raspando à trave esquerda.
Antes do intervalo, o Colorado chegou a balançar as redes. Em escanteio batido por D'Alessandro, Thales conseguiu o desvio com o pé direito para o gol. O árbitro Héber Roberto Lópes anulou o gol colorado por falta de Victor Cuesta fora do lance.
Após confusão da arbitragem, Camilo e Pottker brilham
O segundo tempo começou com uma confusão do árbitro Héber Roberto Lopes. Logo aos 3 minutos, Carlinhos recebeu passe dentro da área e rolou para Gustavo, que mandou para o fundo do gol. Héber, no entanto, chamou para si a decisão de anular o lance. O motivo ficou confuso já que o auxiliar não marcou impedimento no lance. O Goiás teve mais uma chance para marcar logo depois. Aos 10 minutos, Cuesta não conseguiu fazer o corte e a bola chegou a Carlos Eduardo, que apareceu livre, mas Danilo Fernandes conseguiu fazer a defesa para impedir o gol goiano.
O Inter ainda não havia levado nenhum perigo no segundo tempo quando Odair Helmann resolveu mexer na equipe. Camilo foi chamado para entrar no lugar de Eduardo Sasha. Aí, o técnico interino colorado mostrou estrela. Em sua primeira participação, Camilo recebeu uma passe de cavadinha de D'Alessandro dentro da área e, com um toque na bola, deixou William Pottker livre para empurrar para o fundo das redes, 1 a 0, aos 13 minutos.
A dupla Camilo e William Pottker voltou a aparecer logo depois. Aos 18, Camilo, ainda do campo de defesa, acertou um belo lançamento que encontrou William Pottker às costas da defesa do Goiás. O camisa 99 dominou e bateu na saída de Marcelo Rangel para ampliar a vantagem colorada.
William Pottker sentiu dores musculares logo após o segundo gol e saiu para a entrada de Nico López. Mas pouca coisa aconteceu depois disso. O 2 a 0 liquidou a partida e Goiás não mostrou forças para reagir. De notícia ruim para o Inter foi o cartão amarelo de Leandro Damião, que tira o centroavante colorado do jogo com o Guarani no próximo sábado.
Campeonato Brasileiro Série B - 37ª rodada
Goiás - 0
Marcelo Rangel; Bambu, Fabio Sanches (deivid Duarte), Alex Alves e Carlinhos; Victor Bolt (Savedra), Elyeser (Andrezinho) e Léo Sena; Carlos Eduardo, Nathan e Gustavo. Técnico: Hélio dos Anjos.
Inter - 2
Danilo Fernandes; Cláudio Winck, Thales, Victor Cuesta e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson; William Pottker (Nico López), D'Alessandro e Eduardo Sasha (Camilo); Leandro Damião (Charles). Técnico: Odair Hellmann (interino).
Gols: William Pottker (13min e 18min/2ºT)
Cartões amarelos: Victor Bolt (GOI); Leandro Damião (INT)
Árbitro: Héber Roberto Lopes (SC).
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (Correio do Povo)

sexta-feira, novembro 17, 2017

Dr. Rey sobre ser presidente do Brasil: “Quero trazer de volta a nossa sensualidade”



Dr. Robert Rey tem afirmado em entrevistas que deseja ser um dos candidatos à presidência do Brasil nas Eleições de 2018. Em entrevista ao “Programa Fabíola Lyma”, o famoso cirurgião plástico de Hollywood disse que deseja “trazer de volta a nossa sensualidade”.


“Nós somos uma nação linda, nós somos inteligentes, nós somos sexy“, disse o médico, que é a aposta do novo Prona para a próxima corrida eleitoral pela presidência. Em 2014, cabe lembrar, Rey concorreu a deputado federal pelo PSC de São Paulo, mas não conseguiu votos suficientes.
Após a repercussão da fala, a página oficial do programa explicou: “O que quis se referir [com sensualidade] foi ao poder de atração do Brasil para fora dele, ou seja, relacionado ao turismo que gera renda, e essa renda vai para a cultura, esporte, lazer, saúde, educação, segurança. O Brasil perdeu a sensualidade sim, não é mais sensual na visão do mundo, e sim violento e corrupto, assim o mundo o vê”.
“A sensualidade que Dr. Rey se referiu não foi derivada a sexualidade ou a sensualidade corporal. Imagine o Brasil inteiro rebolando? kkkk Não gente, pelo amor de Deus”, disse a página.
Confira o vídeo:
(Rd1)

quinta-feira, novembro 16, 2017

Ventania de frente fria provoca tempestade de areia na Argentina


Tempestades de chuva, de granizo e de poeira ocorreram na tarde de 15 de novembro de 2017 em áreas da Argentina e do Uruguai por causa da chegada de uma nova frente fria. O ar extremamente quente e a pressão atmosférica muito baixa, abaixo de 1000 hPa, colaboraram para a formação de nuvens com grande desenvolvimento vertical.

A pressão atmosférica para ajuste do altímetro das aeronaves chegou a 955 hPa no aeroporto de Termas Rio Hondo. No Uruguai, o aeroporto de Colonia informou a ocorrência de granizo às 20h00 UTC, 18 horas em Brasília. Pouco depois houve uma rajada de vento com 83 km/h. Às 22h00 UTC, 20 horas em Brasília, a tempestade com chuva e granizo persistia com rajadas de vento com 92 km/h.
calor foi extremo no centro-norte da Argentina passando dos 40°C em várias localidades. O aeroporto Termas do Rio Hondo, na província de Santiago Del Estero, na divisa com a província de Tucuman registrou 43°C. O aeroporto de Tucuman registrava 41°C às 18 horas, em Brasília

Esta frente fria avança pelo litoral do Rio Grande do Sul nesta sexta-feira, 16 de novembro. O impacto com o ar muito quente que está sobre o Sul do Brasil favorece a ocorrência de ventania e chuva forte.

Tempestade de poeira

evento mais impressionante associado com a chegada da nova frente fria foi uma tempestade de poeira tão extensa que pode ser observada em imagens de satélite. Diversas regiões da Argentina sentiram o fenômeno. Rajadas de vento entre 50 km/h e 80 km/h foram observadas em vários locais do centro-leste e norte da Argentina durante a passagem da tempestade de poeira.

Nas imagens do satélite GOES- 16 é possível ver a camada de poeira que foi levantada pelos fortes ventos. 

Tempestade de poeira na Argentina em 15-11-17