quinta-feira, março 10, 2016

DRONE PARA PULVERIZAÇÃO É LANÇADO NA 17ª EXPODIRETO

FOTO: DIVULGAÇÃO
A partir de agora os produtores têm uma nova opção para pulverização de lavouras. A empresa SkyDrones, de Porto Alegre - RS, lançou, na 17ª Expodireto Cotrijal, um drone direcionado à pulverização.  Batizado de Pelicano, o equipamento transporta produtos de pulverização e consegue carregar até 10 quilos. A expectativa é de que o Pelicano consiga atingir voo de dois a três metros acima das plantações e consiga realizar a pulverização utilizando até 60% menos de agroquímicos.
No setor do agronegócio a empresa atua há 5 anos e tem um drone de asa fixa, chamado Zangão. Com o Zangão é possível mapear pontos das propriedades agrícolas, aproximadamente 300 hectares por voo e serve como base para a captação de informação. Estas informações mapeadas são repassadas para o Pelicano e para o produtor em arquivos que podem ser abertos em programas como o Cad ou em implementos agrícolas. Pode-se utilizar câmeras convencionais ou até mesmo câmeras multispectrais. Com estas imagens obtidas pelo Zangão, se consegue gerar mapas 3D do terreno, onde aparecem, por exemplo, curvas de rios, desníveis de terra e outras informações necessárias para a conservação do solo e melhoria dos cultivos. O voo do Zangão pode alcançar a altura de 100 a 300 metros do solo e tem a duração de 30 a 60 minutos.
Segundo o sócio proprietário da empresa, Daniel Bandeira, a vantagem da utilização de drones é que se pode fazer um acompanhamento por inteiro da produção agrícola a medida que a plantação vai crescendo. É possível reconhecer um problema desde a sua origem e tratá-lo para que não haja prejuízos na safra.  O valor do drone fica na faixa de R$ 150 mil a R$ 200 mil.  O drone foi lançado simultaneamente no Paraguai e no Uruguai e a tecnologia empregada serviu também para a criação de outro produto da empresa, o Zika Killer, que tem como função principal o combate ao vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti. O Zika Killer pode ser utilizado em locais de difícil acesso nas lavouras, principalmente onde se concentra muita água parada. 
Fonte:Revista Destaque Rural

0 comentários: