• Com boa atuação, Inter goleia Oeste e avança na Copa do Brasil

    Foto: Mauro Schaefer
    Depois de muito tempo, uma goleada somada a uma boa atuação do Inter. E tranquilamente, com exceção de apenas alguns minutos no segundo tempo, que o Inter avançou à terceira fase da Copa do Brasil, ao despachar o Oeste por 4 a 1, na noite desta quarta-feira, no estádio Beira-Rio.
    Na próxima fase, o Colorado encara Guarani de Juazeiro (CE) ou Sampaio Corrêa, que se enfrentam na semana que vem. Antes disso, já nesta quinta-feira o Inter – com reservas – volta a campo para enfrentar o Criciúma, pela Primeira Liga. A maratona segue ainda no sábado, quando os comandados de Zago têm pela frente o Brasil de Pelotas, pelo Gauchão.
    Boa atuação e goleada
    Ainda nos primeiros movimentos, um susto: Cleidson fez fila pela ponta esquerda e cruzou forte, numa bola que encontraria Robert em condições de chute na pequena área. Carlinhos cortou no meio do caminho e por não muito não marcou contra.
    Foi só um susto. E logo esquecido. Na resposta, Carlinhos cruzou fechado da esquerda, a bola bateu na trave e voltou justo onde Brenner estava. Em meio à marcação, o centroavante completou para o fundo das redes e abriu o marcador.
    O Oeste não tinha conseguido redefinir a sua estratégia ainda, quando, aos 14, Léo Ortiz chutou forte do campo de defesa. Parecia um balão de zagueiro, mas a bola foi no peito de Carlos. O atacante dominou, invadiu a área, cortou o zagueiro e bateu colocado para o 2 a 0.
    Logo depois, a zaga do Oeste quase entregou a rapadura. Rodolfo errou o passe, Carlos recuperou e iniciou uma trama de passes que só não culminou no gol de Rodrigo Dourado porque Lídio conseguiu dividir na hora certa. Numa rara chegada à frente, aos 26, Natan por pouco não descontou numa falha de marcação colorada. Ele bateu de primeira o cruzamento de Mazinho e fez a bola raspar a trave de Danilo.
    Percebendo que a defesa rival não era confiável, o Inter amornou e deixou o Oeste reter mais a bola. E num contragolpe que chegou lá outra vez, depois que Carlos recuperou no meio de campo. A bola ainda passou por Brenner e Uendel, já dentro da área, cruzou para Charles, de carrinho, completar. Ainda antes do apito final, o Oeste quase conseguiu marcar com Mazinho, que surpreendeu na cobrança de falta e obrigou Danilo a se esticar e espalmar.
    Susto no início, tranquilidade no fim
    Ambas equipes voltaram com mudanças para o segundo tempo – D'Alessandro, após sofrer com a marcação, deixou o campo para a entrada de Seijas. Mas a estrela do técnico Roberto Cavalo brilhou mais. Thiago Adam, que entrara no lugar de Robert, testou forte depois de cruzamento da esquerda logo aos 3 e marcou.
    O Oeste, aí, gostou do jogo. Aos 6, Danilo Fernandes abandonou a meta para dar um bicão na meia lua antes que Thiago Adam pudesse dominar, às costas da marcação. Dois minutos depois, a bola ficou viva na área colorada e, no chute de Mazinho, Léo Ortiz desviou para escanteio. Após a cobrança, Danilo se esticou para evitar o gol de cabeça.
    Os torcedores começavam a ter calafrios nas arquibancadas, mas o desafogo não demorou. Logo depois de toda a pressão, Carlos levou a melhor sobre a marcação e surgiu livre na cara do gol. O goleiro Rodolfo conseguiu fazer duas grandes defesas nos chutes do atacante, só que cometeu pênalti ao segurar o jogador em meio à dividida. Aos 10, então, Brenner cobrou com categoria e voltou a dar tranquilidade ao Inter no placar.
    O gol esfriou os visitantes, que voltaram a ter dificuldades de criar, enquanto o Inter retomou a postura do fim da primeira etapa, aguardando os erros do adversário. Não custou muito e a oportunidade surgiu aos 26. Seijas cobrou escanteio e Fabinho, de cabeça, obrigou o goleiro Rodolfo a boa defesa. Dois minutos depois, Brenner invadiu a área e testou Rodolfo outra vez, quase anotando o quinto.
    O Inter seguiu administrando o jogo até o fim e só não ampliou, porque Rodolfo brilhou outra vez em nova cabeçada de Fabinho, aos 42. O meia se adiantou à marcação e tentou o canto oposto do goleiro, que voou para não levar mais um. Mas já era tarde e a goleada já estava definida.
    Copa do Brasil - segunda fase
    Inter 4
    Danilo Fernandes; Junio, Paulão, Leo Ortiz e Uendel; Charles (Fabinho), Rodrigo Dourado, Carlinhos e D'Alessandro (Seijas); Brenner e Carlos (Valdívia). Técnico: Antônio Carlos Zago
    Oeste 1
    Rodolfo, Reginaldo, João Victor, Garutti, Cleidson, Barra, Lídio (Guilherme Batata), Natan, Mazinho, Robert (Thiago Adam) e Erick (Da Mata). Técnico: Roberto Cavalo
    Gols: Brenner (4/1), Carlos (14/1), Charles (34/1), Thiago Adam (3/2), Brenner (10/2);
    Cartões amarelos: D'Alessandro, Carlinhos, Charles; Lídio, Erick, Garutti, Rodolfo;
    Público: 10.958 torcedores;
    Arbitragem: João Batista de Arruda, auxiliado por Michael Correia e Carlos Henrique Alves de Lima Filho (trio do Rio de Janeiro). (Correio do Povo)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário