quinta-feira, maio 04, 2017

Agentes penitenciários invadem votação da Previdência em Brasilia

Foto:Naomi Matsui
Agentes penitenciários invadiram a sessão da comissão especial que analisa a reforma da Previdência na Câmara. Eles estavam do lado de fora do Congresso durante a maior parte dos trabalhos do colegiado. A Polícia Legislativa usou gás para dispersar a confusão.

Os manifestantes quebraram uma grade no anexo 3 da Câmara e foram em direção ao plenário. Só depois descobriram que a sessão acontecia na área reservada às comissões da Casa.

A sessão foi suspensa. O presidente da comissão, Carlos Marun (PMDB-MS), disse ainda não saber se haverá uma retomada já nesta 5ª feira (4.mai.2017) ou apenas na próxima semana.
Dos 14 trechos que precisavam ser apreciados após a votação, os chamados “destaques” do texto principal, apenas 2 estavam resolvidos.
Tratavam-se dos 38 trechos destacados individualmente por deputados –como eles são votados todos de uma vez só, conta-se apenas 1 destaque. Também foi votado 1 “destaque de bancada”, como são chamados os trechos que grupos de deputados querem que sejam analisados separadamente.
Outros 2 haviam sido retirados. Os integrantes da comissão ainda precisavam decidir sobre 11 partes como essas.

A CONFUSÃO

O estopim para a entrada dos agentes penitenciários foram justamente os destaques retirados. Ambos dispunham sobre a aposentadoria dos agentes penitenciários, dando-lhes a mesma condição de policiais. Por terem os 2 o mesmo teor, 1 já havia ficado pelo caminho.
O que havia sobrado contava com a simpatia de alguns deputados aliados do governo –o Planalto é contra qualquer flexibilização do projeto. Dessa forma, Marun suspendeu a votação.
Governistas retiraram o destaque, deixando-o para ser apreciado em plenário. Até lá, o governo poderia trabalhar nos bastidores para fazer valer sua vontade.
Com a retirada do 2º trecho, os agentes penitenciários se enfureceram. Quebraram a grade e, em seguida, chegaram à sala da comissão. (Poder 360)

Tags

0 comentários: