quinta-feira, maio 04, 2017

Coca-Cola FEMSA encerra linha de produção em Santo Ângelo

Foto: Félix Zucco
A Coca-Cola FEMSA está fechando a linha de produção em Santo Ângelo. No entanto, manterá a unidade como centro de distribuição para a Região das Missões.
A medida provocou 50 demissões. Outras 14 pessoas foram realocadas, segundo a empresa. Os demais 200 trabalhadores seguirão no centro de distribuição.
Não é a primeira ação dentro da reestruturação que está sendo feita pela FEMSA. A mexicana comprou a operação de bebidas da Vonpar.
A empresa lembra que emprega 4 mil pessoas na Região Sul. Seguirá produzindo na fábrica de Porto Alegre.
E aqui o posicionamento completo enviado pela empresa para Rádio Gaúcha e blog Acerto de Conta$:
“A Coca-Cola FEMSA Brasil comunica que, após aquisição da VONPAR, iniciou um processo de reorganização com o objetivo de adequar sua infraestrutura às necessidades atuais e futuras do mercado, gerando uma estrutura produtiva e administrativa sustentável a médio e longo prazo. 
Como consequência deste processo, a planta de Santo Ângelo inicia hoje a descontinuação das linhas de produção da unidade, que continuará operando com suas áreas Comercial e de Distribuição em normalidade.
A Coca-Cola FEMSA Brasil entende o impacto social da decisão, especialmente pelo simbolismo e a relação da planta com as comunidades e a população de Santo Ângelo, e gostaria de ressaltar o agradecimento à comunidade local, colaboradores, parceiros, clientes e à Prefeitura da cidade pelas contribuições e esperamos continuar trabalhando juntos nesta nova etapa.
Um plano de extensão de benefícios foi desenhado para os trabalhadores desligados, com o intuito de apoiá-los neste processo de transição e na continuidade de sua trajetória profissional, com a garantia de todos os direitos trabalhistas previstos na legislação brasileira.
A companhia reforça seu compromisso e planos de desenvolvimento na região Sul, onde continuará presente, com suas operações fabris, comercial e de distribuição, e empregando mais de 4 mil pessoas.” (Rádio Gaúcha)

0 comentários: