sexta-feira, maio 05, 2017

Gerente de casa noturna é preso por furto de energia em Porto Alegre

 Foto: Polícia Civil 
Um gerente de casa noturna foi preso na noite dessa quinta-feira como suspeito de furtar energia elétrica no bairro Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Segundo informações da Polícia Civil, o crime ocorreu no bar Rambla, que fica na esquina entre as ruas Félix da Cunha e Marquês do Herval. A prisão faz parte da Operação Blecaute.
Policiais civis foram acompanhados de técnicos da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) e encontram duas ligações na casa noturna. Uma delas, subterrânea, era regular, mas a segunda, aérea, constava como desativada, mas abastecia boa parte do estabelecimento. A ligação, que atravessava a rua Félix da Cunha, era responsável pela energia de um elevador e da cozinha.
De acordo com o delegado responsável pela ação, Alexandre Fleck, a ligação clandestina era feita em um poste localizado no outro lado da rua. “Tinha uma ligação aérea da CEEE, que ela fez e que dava no prédio. Essa ligação aérea foi desativada e uma nova ligação subterrânea foi feita. Só que a partir do momento que começou a se trabalhar com a nova medição, eles começaram a constatar que o consumo não estava de acordo com o tamanho da casa. E como o outro sistema ficou ali desativado, surgiu a possibilidade de eles terem reativado esta ligação", disse. "E aí fizemos essa diligência e essa ligação foi novamente ativada. Só que com uma manipulação em que o relógio medidor estava desligado. Toda a energia que passava por ali era subtraída”, destacou o delegado.
A eletricidade roubada alimentava câmaras frias, um elevador, toda a cozinha, alguns splits, entre outros. O gerente alegou que não sabia da ligação irregular. No entanto, quando a equipe da CEEE ainda estava analisando o poste, pouco antes do início da ação, o responsável pelo estabelecimento foi conversar com os trabalhadores para saber se havia algo incorreto, gerando desconfiança dos agentes da companhia de energia elétrica. O crime de furto qualificado pode gerar pena de 2 a 8 anos de prisão, sem possibilidade de liberação mediante pagamento de fiança. A casa noturna não chegou a ser interditada. (Correio do Povo)

0 comentários: