quinta-feira, maio 18, 2017

Reunião de prefeitos gaúchos para retomada de obras em creches termina sem solução em Brasília

A reunião entre prefeitos gaúchos e representantes do Ministério da Educação realizada na terça-feira (16) em Brasília para resolver o impasse sobre a construção de mais de 200 creches no Rio Grande do Sul terminou sem acordo. As obras estão paradas há mais de três anos.
Foi acertado apenas que o ministério deve responder até o final do mês se vai autorizar as cidades a realizarem novas licitações e liberar mais recursos.
Pelo menos 20 prefeitos de cidades gaúchas participaram da reunião com técnicos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação para discutir o impasse a cerca da construção de 208 creches em 98 cidades.
Em 2013, o governo federal contratou uma empresa e liberou dinheiro para a realização das obras, mas a maioria nem saiu do papel porque a empresa contratada decretou falência.
Os prefeitos pedem uma autorização da União para realizarem novas licitações, e pedem mais dinheiro para isso. No entanto, o ministério diz que depende de autorização judicial para que isso seja feito, uma vez que muitas cidades recorreram ao judiciário para tentar resolver o impasse.
“Nós saímos daqui frustrados. Nós, prefeitos, temos uma grande procura por vagas na educação infantil, compramos vagas, querendo executar esta escola de Pró-infância pra dar vagas a 240 crianças, e temos este impasse que a empresa que ganhou o processo junto ao FNDE não executou a obra, e estamos com 40% da obra executada, abandonada há mais de dois anos, em situação calamitosa e deteriorada, e sem uma posição do governo federal”, afirma o prefeito da cidade de Agudo, Valério Vili Trebien.

0 comentários: