quinta-feira, maio 11, 2017

Sartori adere ao lobby das Papeleiras Estrangeiras e defende Venda de Terras de Fronteira no RS


A venda de terras fronteiriças para estrangeiros coloca em risco a segurança nacional e por isto é cobiçada por interesses estrangeiros. A questão econômica é apenas cortina de fumaça para a tentativa de desnacionalização do território sensível.

O lobby das papeleiras estrangeiras, capitaneadas pela chilena CMPC e seu CEO no RS, Walter Lídio (foto ao lado), conseguiu apoio importante na articulação política pela revisão de um parecer que proíbe a venda de terras no país a estrangeiros, permitindo, assim, a negociação de áreas da fronteira. O entendimento, firmado em 2010, também veda o comércio junto a empresas brasileiras controladas por grupos internacionais. 

Desta vez foi o governador Ivo Sartori, que foi hoje tratar do assunto com a Advogada Geral da União, Grace Mendonça, que não prometeu nada. Segundo Sartori, a mudança é necessária para facilitar a instalação de novos investimentos no Estado.

— Não é abrir para a especulação imobiliária. É, sim, viabilizar projetos bem específicos e concretos que sejam de interesse social e econômico para as regiões — argumentou o governador.

Segundo o Piratini, estão em negociação empreendimentos que envolvem uma nova unidade industrial para produção de celulose, com recursos de mais de US$ 2,5 bilhões, e outros cinco projetos para produção de pellets de madeira (um biocombustível) para exportação. (Blog Polibio Braga)

0 comentários: