• Brasileiros já pagaram mais de R$ 1 trilhão em impostos em 2017

    Foto: Reprodução
    O valor pago pelos brasileiros em tributos neste ano alcançou R$ 1 trilhão por volta das 8h desta sexta-feira (16), segundo o Impostômetro, mantido pela ACSP (Associação Comercial de São Paulo). No ano passado, o mesmo montante foi alcançado somente em 5 de julho, o que revela crescimento da arrecadação tributária.
    A marca de R$ 1 trilhão equivale ao montante pago em impostos, taxas e contribuições desde o primeiro dia do ano. O dinheiro é destinado à União, aos Estados e aos municípios.
    “Já que nossa economia não está crescendo, essa diferença de 19 dias reflete aumentos e correções feitos em impostos e isenções, além da obtenção de receitas extraordinárias como o Refis. Reflete também a inflação, que, apesar de ter caído, segue em patamar alto”, disse em nota Alencar Burti, presidente da ACSP. Para ele, “no segundo semestre, espera-se elevação arrecadatória em função da melhora da atividade econômica”.
    O painel eletrônico que calcula a arrecadação em tempo real está instalado na sede da associação, na rua Boa Vista, na região central da capital paulista. O total de impostos pagos pelos brasileiros também pode ser acompanhado pela internet, na página do Impostômetro (www.impostometro.com.br).
    Na ferramenta, criada em parceria com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário, é possível acompanhar quanto o País, os estados e os municípios estão arrecadando em tributos e também saber o que dá para os governos fazerem com todo o dinheiro arrecadado.
    Carga tributária
    A carga tributária do Brasil equivale a 35% do PIB (Produto Interno Bruto), que representa a soma de tudo que é produzido pelo País. Por ano, só para pagar impostos, cada brasileiro precisa trabalhar 153 dias, ou seja, cerca de cinco meses.
    Para especialistas o problema maior não é o tamanho da carga tributária, mas como o dinheiro dos impostos é usado pelos governantes. Segundo o advogado Eduardo Salles, o alto valor reflete a crise política e econômica do País e, ao mesmo tempo, chama a atenção para a desigualdade na distribuição dos impostos arrecadados.
    “O principal problema está na distribuição do tributo arrecadado. É aí que nós vemos essas desigualdades sociais e regionais, em razão dessa falha do governo na distribuição do que ele arrecada” afirmou.
    Na opinião de Salles, o caminho para a mudança passa pela reforma tributária, que se arrasta no Congresso Nacional. “O sistema tributário brasileiro exige urgentemente uma reforma”, destacou. (O SUL)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário