terça-feira, julho 04, 2017

A Anvisa suspendeu lotes do medicamento Captopril, indicado para pacientes com hipertensão arterial

Foto: Reprodução
A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu nesta segunda-feira (03) 10 lotes do medicamento Captopril 25 mg, do Laboratório Lafepe, indicado para pacientes com hipertensão arterial. O órgão identificou problemas no controle de qualidade dos produtos.
O teste de estabilidade, que avalia a qualidade do medicamento pronto, mostrou que a quantidade de princípio ativo dissulfeto de captopril nos comprimidos estava diferente do padrão. A substância é responsável por dar a identidade do medicamento e faz agir no corpo do paciente.
Está proibido o comércio, distribuição e uso do medicamente. Portanto, os pacientes que estejam utilizando algum dos lotes suspensos devem fazer a troca do medicamento.
Os outros lotes do produto produzido pelo Lafepe continuam liberados.
Os lotes suspensos
15081401 (validade: agosto/2017), 15081402 (validade: agosto/2017), 15081403 (validade: agosto/2017), 15090230 (validade: setembro/2017), 15090231 (validade: setembro/2017), 15090232 (validade: setembro/2017), 15121446 (validade: dezembro/2017), 16030251 (validade: março/2018), 16030254(validade: março/2018) e 16030255(validade: março/2018).
A doença
A hipertensão arterial, também chamada de pressão alta, é uma doença crônica que afeta cerca de um terço da população mundial. No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, existem cerca de 13 milhões de pessoas com a doença, que atinge principalmente adultos com mais de 60 anos. Um dos fatores que têm contribuído para o aumento dos casos de hipertensão é o estilo de vida moderno, que envolve maus hábitos alimentares, sedentarismo obesidade e estresse. Muita gente nem sabe que tem a doença, até que ela provoque lesões nos órgãos vitais como o coração, os rins e no cérebro.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a pressão alta é uma das principais causas de infarto do miocárdio, insuficiência renal e AVC (Acidente Vascular Cerebral). Descubra aqui como se desenvolve, como realizar o diagnóstico e o que fazer para prevenir e tratar a hipertensão arterial.
O diagnóstico da HAS (Hipertensão Arterial Sistêmica), nome científico da doença, só pode ser feito por meio do cálculo regular da pressão sanguínea. Quem tem pressão arterial acima de 18/12 é considerado pressão alta.
Principais causas
Em cerca de 90% dos casos, a hipertensão não tem causas definidas chegando a se considerar o fator genético como forte fator de risco para o desenvolvimento da doença. Essa propensão ataca homens e mulheres de forma igualitária e preocupante. De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão, 1 em cada 4 pessoas adultas é considerada hipertensa no Brasil.
Ou seja, se alguém da sua família (mãe, pai, avô ou outro parente próximo) tem problema de pressão alta, há boas chances de você também ter. Apenas de 5 a 10 % dos casos é decorrente de outras doenças como insuficiência renal, hipotireoidismo, apneia do sono e Diabetes Melitus. Por isso,é muito mais seguro considerar não as causas, mas os fatores de risco da pressão alta e agir na prevenção. (O SUL)

Tags

0 comentários: