sexta-feira, julho 28, 2017

A quantidade de brasileiros barrados ao tentar entrar em Portugal disparou

Foto: Reuters
A quantidade de viajantes brasileiros barrados ao tentarem entrar em Portugal disparou, tendo uma alta de 91,3% em 2016 na comparação com o ano anterior e de 198,8% com 2014. Ao todo, 968 pessoas foram mandadas de volta para casa pelas autoridades ao longo do ano passado —o equivalente a uma média de 2,6 pessoas por dia.
Em relatório lançado nesta semana, o SEF (Serviço de Estrangeiros e Fronteiras), órgão responsável pelo controle da imigração português, já alerta para um novo fluxo de brasileiros que tentando permanecer de forma ilegal no país. “Assistiu-se a um agravamento da pressão migratória em termos de imigração ilegal”, diz o documento.
Para as autoridades portuguesas, esse novo fluxo de imigrantes ilegais é “potencialmente justificado pela manutenção da crise econômica que se verifica no Brasil desde 2014, aliada à agudização da crise política e social ao longo de 2016”.
Portugal, pela afinidade linguística e cultural, é tradicionalmente um dos destinos preferidos de migração para os brasileiros, que formam a maior comunidade de estrangeiros no país.
No entanto, no início desta década, houve uma espécie de êxodo brasileiro. Enquanto Portugal vivia o auge da crise e econômica e das políticas de austeridade, que incluíram aumento de impostos e diminuição de salários, o Brasil vivia um boom de crescimento e recorde de geração de empregos.
Diante desse cenário reverso, muitos brasileiros residentes em Portugal acabaram regressando.
Entre 2011, ano com a maior quantidade de brasileiros legalmente vivendo em Portugal, e 2014, quando os indicadores econômicos do Brasil começaram a despencar, 31.870 brasileiros deixaram o país de Camões.
Nos últimos anos, porém, o cenário econômico se inverteu. Enquanto o Brasil sofre em meio a uma crise político-econômica, Portugal tem apresentado resultados mais positivos nos dois campos.
O desemprego e o deficit são os mais baixos na década, e a economia, duramente castigada pela crise global que teve no país um de seus epicentros, tem crescido acima da média da zona do euro.
“Muitos dos brasileiros que foram embora já estão voltando. Muita gente se arrependeu de ter voltado para lá”, diz o advogado Luiz Junior, que assessora brasileiros com a documentação migratória em Portugal.
A inversão do fluxo já se reflete no aumento das recusas nos aeroportos, depois de uma baixa considerável. Em 2013, o número de brasileiros barrados em Portugal foi o mais baixo da história: 299, 30% do total do ano passado.
EUROPA
Outros países do continente europeu também têm fechado as portas com mais frequência para os brasileiros desde que a crise se agravou.
Segundo o último relatório da Frontex (agência de fronteiras da União Europeia), mais de dez brasileiros são barrados todos os dias nas fronteiras europeias.
Em 2016, foram 3.694 casos, o que torna a brasileira a segunda nacionalidade mais barrada nos aeroportos europeus, atrás somente da Albânia (o dado não inclui outras portas de entrada).
A maior parte dos brasileiros foi mandada de volta para casa nos aeroportos de Portugal e Espanha por, segundo os agentes, não ter a documentação apropriada justificando os motivos e as condições de estadia.
O total de brasileiros que têm o pedido visto negado pelos EUA também triplicou em 2016, saltando de 5,36% dos solicitantes em 2015 para cerca de 15%.  (O SUL)

Tags

0 comentários: