• Após acidentes, grupo cobra passarela na ERS 239

    Foto: Stephany Sander
    Moradores de Sapiranga protestaram ontem na ERS 239 contra a insegurança na travessia da rodovia na cidade. Uma das pistas ficou bloqueada por cerca de 30 minutos, gerando lentidão. A manifestação ocorreu no km 20, próximo de onde mais cedo um homem morreu atropelado. Esse havia sido o segundo acidente no trecho em menos de 12 horas, já que na noite de quarta-feira uma idosa faleceu no Hospital de Sapiranga, devido a ferimentos após atropelamento.
    “Estamos cansados dessa situação. Meu filho vai para a escola, e eu não sei mais se ele vai voltar. Alguns motoristas são imprudentes, e os pedestres não têm como atravessar a estrada com segurança”, disse Arlete Ávila.
    A Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) confirmou obras de melhorias para a ERS 239 no trecho de Sapiranga. Os editais, assinados na sexta-feira passada, preveem a elaboração dos projetos de construção de duas ruas laterais, uma delas com extensão de um quilômetro, que ficará entre os km 25 e 26, e a outra com 580 metros, no km 28. Passarelas, porém, não devem se construídas, por falta de verbas.
    A rodovia, que passa pelas cidades de Novo Hamburgo, Campo Bom, Sapiranga, Araricá, Nova Hartz, Parobé, Taquara e Rolante, tem apenas uma passarela. (Correio do Povo)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário