terça-feira, julho 04, 2017

Crime recente em Carazinho motiva caminhada para exigir segurança

Foto:Grupo Gazeta
A comunidade de Carazinho atendeu ao chamado de familiares e amigos de Décio Airton Jost e participou de uma caminhada pela segurança pública no município, depois da morte violenta do comerciante aos 55 anos na última sexta-feira, dia 30, vítima de um bandido armado que o atingiu com um tiro quando entrou com um comparsa no estabelecimento, Mercado Jost, localizado no bairro Ouro Preto.
A caminhada começou na câmara de vereadores e estava marcada para às 19h. Alguns dos participantes entraram no plenário e acompanharam a sessão ordinária desta segunda-feira (03), que não teve apreciação de projetos em plenário, apenas requerimentos e indicações. O plenário ficou lotado e muitos tiveram que permanecer em pé. Todos os 13 vereadores ocuparam a tribuna para falar sobre o latrocínio (roubo seguido de morte) que vitimou Décio e da preocupação de todos com a incidência da criminalidade no município.
A delegada de polícia civil Rita De Carli e o capitão da brigada militar Juliano Moura estavam presentes e tiveram a oportunidade de se manifestar. A delegada disse que há prioridade no trabalho para elucidar o crime ocorrido ?de forma tão banal e estúpida? e considerou muito importante o movimento proposto pela comunidade. O capitão disse que resta à corporação além de muito trabalho manifestar sentimento pela perda, que além do crescente índice das taxas criminais a BM encontra dificuldade na prevenção, e que apesar da dificuldade principalmente com a falta de efetivo todos os dias há prisão e a Operação Avante surgiu para cuidar de demandas prioritárias na comunidade.
Houve por parte dos políticos eleitos pela comunidade de Carazinho comprometimento em reforçar o pedido de maior efetivo no município.

Demora
Por volta das 20h30min quem estava do lado de fora aguardando o início da caminhada cansou de esperar e reclamou da demora nos pronunciamentos dos políticos, que continuava no plenário. No momento em que a vereadora Janete Ross de Oliveira (PSB) estava na tribuna os gritos do lado de fora ficaram mais altos, foram ouvidos por quem estava dentro da câmara e a própria vereadora concordou que era hora de iniciar a caminhada.
Na avenida, os agentes fiscais de trânsito organizaram o trânsito para que as pessoas pudessem seguir pela Flores da Cunha em direção à praça Albino Hillebrand, umas carregando cartazes e outras levando uma velas e balões brancos. Familiares de Décio Airton Jost acompanharam todo o trajeto amparados pelo carinho dos demais. Representantes de diversas classes de profissionais e entidades estavam presentes.
Quando chegaram na praça as vozes clamando por segurança ficaram mais fortes e foi a vez de manifestações individuais. Várias pessoas lamentaram o que está acontecendo na cidade e inevitavelmente a morte brutal do comerciante foi muito abordada.
Ao final, de mãos dadas, foi feita uma oração.  (Ana Maria Leal/Portal da Gazeta)

Tags

0 comentários: