• Governo da Austrália investe quase 4 bilhões de dólares para atrair investidores brasileiros

    Foto: Reprodução
    Os Estados de Queensland, Western Australia and Northern Territory representam quase 40% do território australiano e apresentam 17 milhões de hectares de solo agricultável. Com 80% da população concentrada em regiões litorâneas, o interior tem terras disponíveis para empresas investirem na criação de gado e no cultivo de lavouras. Para atrair investidores estrangeiros para essas regiões, o governo australiano está investindo, até 2020, 3,7 bilhões de dólares em infraestrutura como construção de portos, aeroportos, rodovias e ferrovias para facilitar as exportações.
    Com características muito similares, o Brasil é um dos principais focos da Austrália, que oferece uma estrutura de apoio para investidores que quiserem abrir seus negócios no país da Oceania, a fim de aumentar o fluxo de negócios entre as duas nações. “Quando investem na Austrália, os empresários brasileiros ganham em conhecimentos tecnológicos, aumentam a escala de comercialização de seus produtos e têm maior margem de lucro nas exportações”, explica o cônsul-geral da Austrália no Brasil, Greg Wallis. Dona da 13ª maior economia global, a Austrália apresenta uma economia sólida e saudável, com 26 anos de crescimento contínuo e é uma das poucas regiões no mundo com terras disponíveis para plantio, cultivo e criação.
    “O país possui acordos de livre comércio com quase todas as nações da Ásia e do Pacífico, apresentando-se como grande vantagem para investidores estrangeiros. A Austrália exporta para nações como Japão e Estados Unidos com valor agregado que chegam a valer quase o dobro do que produtos vendidos pelo Brasil”, destaca Greg Wallis.
    Em 2015, as exportações de carne bovina renderam 3,6 bilhões de dólares à Austrália. No período, a tonelada no Brasil custava 4 mil dólares, na Austrália valia 9 mil dólares. Já a China tem sido o principal destino da produção agrícola, com negócios de 6,4 bilhões de dólares por ano, em média, sendo o grande atrativo a logística. Os produtos importados da Austrália chegam em seis horas, enquanto que uma carga brasileira demora alguns dias.
    “O crescimento populacional da Ásia também é outra vantagem para os negócios, já que com isso cresce o interesse asiático por alimentos seguros, saudáveis e de alta qualidade e ingredientes prontos para varejo, um dos pontos fortes da Austrália”, conclui o cônsul-geral da Austrália no Brasil.
    Somente nos últimos dez anos, o investimento estrangeiro na Austrália cresceu mais de 190% tendo como principal foco o agronegócio, com destaque para as áreas de pecuária, laticínios, grãos, horticultura e aquicultura. (O SUL)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário