• Longe de casa, o Inter vence o Ceará por 2 a 0 na Série B do Campeonato Brasileiro

    Foto: Ricardo Duarte
    Com um futebol eficiente, na noite dessa terça-feira o Inter venceu o Ceará por 2 a 0 na Arena Castelão, em partida válida pela décima terceira rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. O resultado, garantido com gols de William Pottker e Nico López no primeiro tempo, deixou o Colorado em quinto lugar na tabela, com 21 pontos, apenas quatro atrás do líder Guarani-SP.
    O próximo desafio do time está marcado para as 16h30min do sábado que vem, em mais um duelo longe do estádio Beira-Rio. O adversário será o CRB (sexto colocado), em Maceió (AL). Já na terça-feira seguinte, às 21h30min, o Inter se reencontra com a sua torcida, em casa, para receber a Luverdense-MT.
    O time treinado por Guto Ferreira foi a campo com a mesma escalação que começou a partida no empate contra o Criciúma-SC, em Porto Alegre, no sábado passado. Vestiram a camisa vermelha Danilo Fernandes, Cláudio Winck, Klaus, Víctor Cuesta, Uendel, Rodrigo Dourado, Edenílson, Felipe Gutiérrez (Fabinho), D’Alessandro (Juan), Nico López (Diego) e William Pottker.
    Já o Ceará, comandado por Marcelo Chamusca, contou com Everson, Tiago Cametá, Rafael Pereira, Luiz Otávio, Rafael Carioca, Raul (Elton), Richardson, Pedro Ken (Lelê), Ricardinho, Roberto (Cafu) e o veteraníssimo Magno Alves, de 41 anos.
    Primeiro tempo
    O duelo na capital cearense começou com intensa disputa pela posse de bola e forte marcação de ambos os lados. Na primeira vez em que conseguiu chegar ao ataque, aos 11 minutos, o Inter abriu o placar: Edenilson invadiu a área pela direita e tocou para William Pottker que, na pequena área, empurrar a bola para dentro para o fundo das redes.
    A vantagem foi ampliada aos 19 minutos. Cláudio Winck arriscou de fora da área e Everson fez uma grande defesa. Pottker deu o rebote, para nova defesa salvadora do arqueiro, mas a bola espirrou para a meia-lua, onde Nico López apareceu para chutar de primeira, com a perna esquerda, anotando o seu décimo-quarto gol desde que desembarcou em Porto Alegre, há um ano.
    A torcida colorada ainda vibrava na arquibancada do Castelão com o golaço do atacante uruguaio quando William Pottker quase fez o terceiro, mas a “paulada” explodiu no travessão.
    Em meio a algumas tentativas esporádicas, o Ceará chegou com força pela primeira vez somente aos 38 minutos, em um cabeceio de Pedro Ken que raspou a trave direita de Danilo Fernandes. O Inter respondia com contra-ataques que poderiam proporcionar um escore mais elástico, mas as jogadas acabavam esbarrando na falta de efetividade.
    Segundo tempo

    Já na largada da etapa complementar, o Inter seguiu disposto a dar as cartas no jogo. Aos 3 minutos, Edenilson experimentou de longe e a bola passou por cima do travessão. No entanto, dos 14 aos 18 minutos a partida foi interrompida em função de dezenas de sinalizadores acesos nas arquibancadas por torcedores do alvi-rubro cearense.

    Quando a bola voltou a rolar, e os donos da casa cresceram em campo. Mas o Inter se fechou bem, com destaque para a firmeza de Víctor Cuesta na zaga, e conseguiu segurar a pressão adversária. Decido a “oxigenar” o time, o técnico Guto Ferreira promoveu duas mudanças de uma só vez no time gaúcho, colocando Diego e Juan nos lugares de Nico López e D’Alessandro.
    A alteração acabou proporcionando a recuperação do poder ofensivo colorado, mas os planos de uma goleada no Castelão voltaram a se mostrar infrutíferos. Aos 27 minutos, por exemplo, Cláudio Winck ficou cara-a-cara com o goleiro mas concluiu com pouca força, facilitando a defesa de Everson.
    Aos 35 minutos, foi a vez de Diego contar com uma boa oportunidade, tentou driblar o goleiro e acabou derrubado dentro da grande área. Para os colorados, um pênalti não marcado pela arbitragem. Já aos 43 minutos, Fabinho (que momentos antes havia entrado no lugar de Felipe Gutiérrez) apareceu de surpresa na área e cabeceou com perigo, mas à esquerda da trave cearense. Por fim, aos 47 minutos, Juan ficou de frente para o gol, mas chutou em cima do zagueiro.
    “Hoje, nós fomos cirúrgicos”, declarou o capitão D’Alessandro, ao deixar o gramado. “O Ceará até teve maior posse de bola, mas fomos mais eficientes nas chances que conseguimos.” Já William Pottker mencionou a superação do time, que realiza uma campanha irregular na Série B: “A gente havia feito uma boa partida contra o Criciúma mas a vitória não veio, então hoje merecemos o resultado”. (O SUL)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário