quinta-feira, agosto 03, 2017

A Justiça autoriza o goleiro Bruno, preso pelo assassinato de Eliza Samudio, a dar aulas de futebol para crianças em Minas Gerais

Foto: Reprodução
O goleiro Bruno Fernandes de Souza, 32 anos, condenado pela morte de Eliza Samúdio, recebeu autorização da Justiça para dar aulas de futebol para crianças e adolescentes em Varginha, a 312 quilômetros da capital mineira, Belo Horizonte. Os dias trabalhados serão usados na remição da sua pena.
Bruno vai dar aulas de segunda a sexta-feira no Nucap (Núcleo de Capacitação para a Paz), que atende cerca de 60 crianças e adolescentes filhos de detentos e ex-detentos. O núcleo tem com principal objetivo a inclusão e ressocialização de presos, como permitir que mães condenadas possam conviver com os filhos longe do ambiente prisional.
O goleiro não poderá ter acesso à área externa ou pessoas estranhas à organização, exceto familiares. Um representante da instituição irá buscá-lo dentro do pátio da unidade prisional para dar as aulas de futebol. O Nucap terá que enviar periodicamente à Justiça o controle de frequência, a lista de atividades desenvolvidas por Bruno e qualquer irregularidade.
Antes da autorização para dar aula para crianças e adolescentes, o goleiro deixou a prisão neste ano para jogar profissionalmente no Boa Esporte. A passagem de Bruno pelo time de Varginha durou menos de dois meses, pois a Justiça determinou que ele retornasse ao Sistema Prisional de Varginha.
Com a camisa do Boa Esporte, Bruno disputou cinco partidas pelo Módulo II do hexagonal do Campeonato Mineiro, equivalente à segunda divisão. Em campo, venceu duas vezes, teve dois empates e uma derrota. Sofreu quatro gols. Quando Bruno foi anunciado como reforço do Boa Esporte, muitos protestos aconteceram, especialmente pela internet. Com a repercussão negativa, vários patrocinadores deixaram o Boa Esporte, entre eles a fornecedora de material esportivo.
No retorno aos gramados, Bruno contou com um incentivo especial. Alguns familiares do goleiro marcaram presença no estádio Dilzon Melo, em Varginha, na sua estreia. Eles levaram uma faixa de incentivo ao goleiro, com a inscrição “Somos todos Bruno”. Em cada tempo da partida a faixa ficou em um setor da arquibancada, sempre próxima ao gol defendido por Bruno. O goleiro teve participação decisiva no empate em 1 a 1 com o Uberaba, pela primeira rodada do hexagonal final do Módulo do Campeonato Mineiro, na sua estreia, e foi aplaudido pelos torcedores.
Ex-goleiro do Atlético-MG e do Flamengo, Bruno foi preso em 2010, acusado de envolvimento no assassinato de sua ex-amante Eliza Samudio. Ele foi condenado, em 2013, a 22 anos e três meses de prisão, em regime fechado, por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, além de sequestro e cárcere privado do filho que ele teve com Eliza. O jogador recorreu da decisão, mas não teve o recurso julgado. (O SUL)

Tags

0 comentários: