sexta-feira, agosto 04, 2017

Carazinhense disputa primeiro lugar em campeonato de Velocross

Foto:Divulgação
O esporte em Carazinho vai por caminhos que, as vezes, muitos desconhecem. O Velocross, por exemplo, tem um representante carazinhense no campeonato gaúcho da modalidade, Gustavo Campos, que está na disputa pela liderança da competição. “Fui para o Velocross porque gosto da disputa, da adrenalina e da vontade de vencer, todos que entram na pista para correr querem ganhar e é isso que me atrai”, salienta.
O velociclista de 23 anos trabalha como técnico de instalações  na área de rastreadores veiculares. A paixão pelo motociclismo começou quando tinha cinco anos de idade e, por influência do pai que já corria de moto, aprendeu a pilotar uma um Motociclo Jawa 1960, clássico que está na família até hoje. “Despertei essa paixão pelas duas rodas e comecei a fazer trilhas. Em 2009 corri pela primeira prova no Cavalo de Troia e já de cara um 1º lugar, e assim permaneço até hoje participando de campeonatos”, comenta Campos, que quer ser campeão gaúcho de Velocross. O esforço de Guto é que o hobby se torne profissão, porém, acredita faltar incentivo para a modalidade como um esporte de fato. “Mesmo levando o nome de Carazinho para todos os lados do Estado, infelizmente não tenho nenhum tipo de ajuda do poder público. Esse incentivo faz falta, por ser um esporte caro e perigoso preciso estar muito bem equipado, para que em eventuais quedas eu esteja protegido. Fora os gastos com manutenção da moto, viagens, inscrições”, ressalta Campos, que afirma que, apesar da falta do poder público, se sente muito motivado através do apoio da comunidade. “O apoio da família, meus amigos e de toda a comunidade que me conhece foram fundamentais para que não faltasse garra, dedicação e vontade de obter melhores resultados. Hoje sou conhecido pelo meu arrojo dentro das pistas e pela perseverança fora delas”, acredita o desportista.
Sobre o incentivo ao esporte para o melhor desenvolvimento da cidade, Guto acredita ser essencial. “Praticar esportes é saudável, é a melhor maneira de prevenção contra as drogas e outros males da sociedade. Temos que lembrar de abrir nossas mentes para outros esportes e não somente o futebol”, afirma o velociclista que também diz ter feito amizades para o resto da vida dentro do esporte.

Medalhas e Troféus
Uma das principais provas que já correu até hoje, foi em 2014, na 2º etapa do Campeonato Brasileiro, realizada na cidade de Jaguarão. “Nessa eu corri com os melhores pilotos do Brasil, conseguindo o 3º lugar na categoria 230 Pró, que é um resultado inédito para a nossa cidade”, conta.
Com a ajuda de seu preparador, Boris Karusky, Guto foi campeão da categoria intermediária do Campeonato Gaúcho. “Sempre busco me aperfeiçoar e superar meus limites”, finaliza o velociclista.
Para conseguir competir, Guto conta com os patrocínios de parceiros, como, Rellicarro Automóveis Antigos, Gasparzinho Motopeças, Academia Vida Ativa, On Life Suplementos, Tubogelo. Moto Karusky Preparações, Dilvo Suspenções, Tebaldi Gráficos, Rp Racing peças especiais. (Diário AM)

0 comentários: