quinta-feira, agosto 17, 2017

O Grêmio vence o Cruzeiro por 1 a 0 e agora só depende de um empate para chegar às finais da Copa do Brasil

Foto: Lucas Uebel
Diante dos mais de 45 mil torcedores que lotaram a Arena na noite dessa quarta-feira, o Grêmio venceu o Cruzeiro-MG por 1 a 0 no primeiro confronto das semifinais da Copa do Brasil. O resultado foi garantido com um gol do atacante Lucas Barrios, aos 45 minutos do primeiro tempo.
Na próxima quarta-feira, o Tricolor gaúcho enfrentará a “Raposa” mineira em Belo Horizonte dependendo apenas de um empate por qualquer placar para se classificar às finais da competição, da qual é o atual campeão.
Já no outro mata-mata (no mesmo horário), o Botafogo do técnico Jair Ventura empatou sem gols com o Flamengo no estádio Engenhão, no Rio de Janeiro. O duelo de ida marcou a estreia, no comando do Rubronegro carioca, do técnico colombiano Reinaldo Rueda – campeão da Copa Libertadores da América de 2016 com o Atlético Nacional de Medellín.
O jogo
No primeiro tempo, o Grêmio investiu no campo do Cruzeiro até encontrar espaços. A primeira boa chance foi em um levantamento para a área, estratégia que não está entre as mais frequentes do Tricolor gaúcho. Em uma primeira conclusão, Lucas Barrios só não marcou por conta de uma defesa “milagrosa” do goleiro cruzeirense Fábio, que voltou a brilhar em nova conclusão, dessa vez com Pedro Rocha na zona central.
Na terceira tentativa, o arqueiro visitante barrou um chute forte do ataque gremista, mas a defesa que seria “em dois tempos” acabou deixando a bola livre, leve e solta para Lucas Barrios tocar para o fundo da rede adversária, aos 45 minutos.
Já na etapa complementar, o Mosqueteiro inverteu os papeis com a Raposa, adotando uma postura de maior cautela, apostando nos contra-ataques. A troca de Barrios por Everton na escalação fez com que a equipe explorasse a velocidade diante dos espaços cruzeirenses, buscando brechas. O Cruzeiro esperava atrás e acabou se fechando, à espera do Grêmio e na certeza de que a derrota por 1 a 0 pode ser revertida em Belo Horizonte.
O time de Renato Portaluppi conseguiu fechar os lados do campo, onde costuma se mostrar superior aos oponentes. Já no Cruzeiro de Mano Menezes, a ideia incluiu explorar cobranças de faltas e lançamentos longos. Ganhando terreno com esse expediente mas sem uma transição ofensiva rápida, o time mineiro criou pouco.
Aos 15 minutos, o atacante Luan foi derrubado por Ezequiel e imediatamente o juiz Marcelo Aparecido de Souza correu para a marca do pênalti. O auxiliar Bruno Salgado Rizo e o quatro árbitro entraram em cena, porém, e corrigiram: Souza voltou atrás e marcou falta quase em cima do risco da grande área, sob protestos da torcida e do elenco tricolor – na cobrança, a bola explodiu na barreira, sem perigo.
Nos momentos finais, os mineiros mudaram a postura e passaram a propor o jogo, com diversos chutes de média e longa distância, além da aposta na velocidade às costas de Edilson e contra Walter Kannemann. Mas não surtiu efeito. O apito final soou aos 49 minutos.
Escalações

O Grêmio de Renato Portaluppi jogou com Marcelo Grohe, Edílson, Pedro Geromel (Bressan), Walter Kannemann, Bruno Cortez, Arthur, Michel, Ramiro, Pedro Rocha (Fernandinho), Luan e Lucas Barrios (Everton).

Já o Cruzeiro, sob o comando de Mano Menezes, escalou Fábio, Lucas Romero (Ezequiel), Léo, Murilo, Diogo Barbosa, Henrique, Lucas Silva, Robinho (Élber), Thiago Neves, Alisson e Rafael Sobis (Raniel). (O SUL)

0 comentários: