terça-feira, agosto 22, 2017

Polícia prende 5 e desvenda roubo milionário ocorrido em Carazinho

O fato aconteceu na madrugada do dia 29 de janeiro de 2017, na sede da empresa Toniato, localizada no Distrito Industrial de Carazinho. De acordo com a polícia civil, estima-se que pelo menos 15 pessoas participaram do crime nas etapas de planejamento e execução.
Os assaltantes chegaram na empresa fortemente armados, renderam os funcionários e pessoas que estavam no local e subtraíram dinheiro, duas arma de fogo, uma pistola Taurus PT 638 calibre 380 e um revólver calibre 38, colete balístico, 9.320 litros do produto Elatus 4x5 kg, 3.936 litros do produto Elatus 12x1, três aparelhos de telefone celular, dentre outros objetos. Na época o valor da carga roubada era estimado em R$ 30 milhões de reais. 

Investigação
A Policia Civil esteve no local no dia do fato e realizou diversos levantamentos. Foram coletadas as imagens registradas por câmeras de vídeo monitoramento de empresas localizadas nas imediações. Também foi realizado levantamento fotográfico no local onde os criminosos danificaram a cerca para ingressas na área interna do estabelecimento. Ainda foram feitos testes, juntamente com a empresa de segurança, no sistema de sensor de perímetro instalado, sendo encontrado um ponto cego, exatamente no local por onde os autores passaram sem que o alarme disparasse. Conforme a Policia, este fato reforçou a tese do envolvimento de alguém que conhecia a empresa e/ou os equipamentos de segurança instalados.
Outra falha apontada foi a inoperância das câmeras de monitoramento que estavam fora de atividade há alguns dias, fato conhecido de alguns funcionários da empresa Toniato e da empresa de segurança.
Imagens
Após análise das imagens coletadas, foi possível verificar que dois caminhões entraram no interior da empresa para auxiliar no transporte dos produtos furtados, bem como o horário que isso aconteceu. Também foi possível constatar que mais três veículos foram usados para dar apoio à ação, dois de passeio e um maior, utilizado para fazer o resgate dos assaltantes depois do crime, garantindo a fuga do local e o transporte do armamento que portavam durante a ação.
Em entrevista para a Rádio Gazeta AM nesta segunda-feira (21), a delegada titular da DPPA, Rita de Carli explicou como as investigações transcorreram.  Segundo ela, com a prisão em flagrante de um envolvido e a apreensão de um colete balístico roubado da empresa a polícia confirmou que estava na linha certa e que os envolvidos no roubo eram as pessoas que já vinham sendo investigadas. Também foi constatado que o preso era amigo de um dos seguranças que trabalhava na empresa no dia do roubo, sendo a participação do tal segurança peça chave para o êxito da empreitada criminosa.
Conforme a delegada, a partir dessas confirmações e com a utilização de modernas técnicas de investigação, durante meio ano de exaustivo trabalho policial, foi possível identificar parte do grupo que praticou a ação, inclusive um dos líderes do grupo.

Prisões
Com base na prova até então produzida, e atendendo à representação da autoridade policial, houve a identificação de 8 participantes do crime e a expedição de seis Mandados de Prisão Preventiva, todos cumpridos nesta manhã de segunda-feira (21).
Dos mandados cumpridos hoje (21), dois homens já estavam presos no Presidio de Sarandi, um no Presidio Regional de Passo Fundo e outro no Presidio de Charqueadas. O segurança da empresa, acusado de ter participação no crime, foi preso em casa nesta manhã. Já  a mulher de um dos homens que já estava preso, foi presa também nesta manhã em Passo Fundo. Tanto o segurança, quanto a mulher foram encaminhados ao Presidio Estadual de Carazinho (PECAR).
De acordo com a polícia o homem preso em Charqueadas, natural de Carazinho, seria um dos lideres da quadrilha.

Pelo RS
Ainda, durante a investigação foram realizadas diligências no interior de Viadutos, com o apoio da Policia Civil de Erechim, ocasião em que foram identificados produtos provenientes do roubo da empresa Toniato e também da Cotrijal. Na ocasião também foram realizadas quatro prisões em flagrante.
Segundo a delegada Rita, em dez dias o inquérito policial deve ser concluído e encaminhado ao Judiciário e as investigações devem continuar até que todos os envolvidos sejam identificados. (Mateus Leal/Portal da Gazeta)

Tags

0 comentários: