sexta-feira, setembro 01, 2017

Uruguai e Argentina empatam por 0 a 0 em Montevidéu

Foto: Miguel Rojo
Uruguai e Argentina fugiram em parte de suas características nesta quinta-feira, no estádio Centenário, em Montevidéu, pela 15.ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas. Bem mais calculistas do que o costumeiro, as duas seleções fizeram um jogo morno e ficaram apenas no 0 a 0, mas deram um importante passo para se garantir na Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia.
O resultado deixou o Uruguai em terceiro lugar com 24 pontos, apenas um na frente da Argentina, a quinta colocada. As duas seleções acabaram se beneficiando pelos outros jogos da rodada - o empate da Colômbia contra a Venezuela e a derrota do Chile para o Paraguai.
E, se ainda está em quinto e hoje disputaria a repescagem, a Argentina tem boa chance de subir na próxima terça-feira, quando recebe a Venezuela e pode ficar próxima da vaga se vencer. Já o Uruguai faz um difícil confronto diante do Paraguai, fora de casa, mas encara nas últimas duas rodadas as já eliminadas Venezuela e Bolívia.
Bicampeões mundiais e com uma campanha instável nas Eliminatórias, tanto Argentina quanto Uruguai entraram em campo nesta quinta-feira precisando do triunfo, sob o risco de se complicarem na busca por uma vaga à Copa de 2018. E cada uma das seleções tinha um trunfo.
A grande aposta argentina era a estreia na competição do badalado técnico Jorge Sampaoli - já fizera a primeira partida contra o Brasil, em amistoso que derrubou a invencibilidade de nove jogos de Tite. E, logo na escalação, o técnico demonstrou o seu estilo ofensivo. Apostou em um 3-4-3 ousado com Messi, Icardi e Dybala formando o trio ofensivo, além de Ángel di María atuando no meio de campo.
Do lado uruguaio, a esperança também tinha nome próprio: Luis Suárez. O atacante do Barcelona chegou a ser desconvocado devido a uma lesão no joelho, mas surpreendeu em sua recuperação, foi reintegrado e iniciou o duelo.
E o primeiro tempo foi movimentado. Messi, Icardi e Dybala, como esperado, se movimentavam bastante e levavam perigo ao gol de Muslera. Luis Suárez também respondeu à altura e, ao lado de Cavani, criou boas chances.
O Uruguai chegou a abrir o placar aos 12 minutos com Godín, mas o árbitro já havia corretamente assinalado o impedimento. Mas era a Argentina, com sua marcação elevada e as linhas próximas, bem ao estilo Jorge Sampaoli, quem chegava inicialmente com mais ímpeto.
Aos 23 minutos, de fora da área, Mercado recebeu de Messi e finalizou com perigo. Aos 30, o astro do Barcelona avançou pela direita, bateu com curva e Otamendi quase desviou de carrinho para o gol vazio. E ainda deu tempo para o craque, já aos 42, tabelar com Dybala e chutar rasteiro. Muslera salvou.
Mas o Uruguai também assustava. Aos 31 minutos, quase fez o primeiro com um golaço: após bobeada da zaga, Luis Suárez percebeu o goleiro adiantado e arriscou quase do meio de campo. A bola saiu por pouco. Cavani também teve duas chances após Romero "bater roupa" seis minutos depois - e desperdiçou as duas.
Tranquilo no primeiro tempo, apesar da tensão esperada para um decisivo Uruguai x Argentina, o duelo ameaçou esquentar no início do segundo quando Álvaro González fez falta dura em Messi. A discussão se acalorou e os jogadores iniciaram um princípio de confusão que foi logo controlada.
O panorama, assim, parecia similar ao do primeiro tempo. A Argentina mantinha o controle, rondava a área e os uruguaios contra-atacavam com perigo. De falta, aos 13 minutos, Messi bateu falta no ângulo e Muslera novamente salvou.
Aos poucos, contudo, o ritmo foi diminuindo. As duas seleções tocavam a bola com paciência e evitavam se expor em excesso. Acabaram segurando o resultado, ainda mais importante depois dos outros dois jogos da rodada. Assim, mais frias e calculistas do que combativas ou explosivas, os bicampeões Uruguai e Argentina ficaram menos distantes da Copa da Rússia. (Correio do Povo)

0 comentários: