sexta-feira, setembro 08, 2017

Venda de 41 planos de saúde está suspensa

Foto: Freepick
Entrou em vigor nesta sexta-feira (08) a determinação da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) que proíbe dez operadoras de comercializarem 41 modalidades de planos de saúde. A suspensão decorre de reclamações feitas por clientes quanto à cobertura assistencial, como recusa ou demora no atendimento.
A suspensão foi anunciada pela agência no dia 1º de setembro. As operadoras deverão continuar assistindo os mais de 175 mil usuários atendidos pelos 41 planos suspensos, sob pena de serem multadas.
Os planos suspensos por determinação da ANS são comercializados pelas seguintes empresas: Unimed-Rio Cooperativa; Unimed Norte/Nordeste; Caixa de Assistência à Saúde (Caberj); Green Life Plus; Salutar Saúde Seguradora; GS Plano Global de Saúde; Sociedade Assistencial Médica e Odonto cirúrgica (Samoc); Sociedade Cooperativa Cruzeiro; Associação Auxiliadora das Classes Laboriosas e Caixa de Previdência e Assistência dos Servidores da Fundação Nacional de Saúde (Capesesp).
A lista completa dos planos que tiveram as vendas suspensas está disponível no site da ANS.
Cartilha
A maioria das pessoas tem muitas dúvidas ao contratar um plano de saúde. Que modalidade atende melhor ao meu perfil? Que coberturas priorizar? São muitos os pontos a serem levados em conta, mas o mais comum é o usuário acabar optando por um mais produto barato e, lá na frente, ter surpresas ao necessitar de um determinado procedimento. Pensando nisso, o Ministério Público, em conjunto com a Agência Nacional de Saúde Suplementar, preparou uma cartilha com orientações para a contratação desse tipo de serviço, ressaltando aos consumidores que o preço não é o mais importante quanto o assunto envolve saúde.
De acordo com o Ministério Público, as orientações constantes do folder têm o objetivo de auxiliar o consumidor, pois é fundamental que ele saiba exatamente o que está contratando e exerça conscientemente seu direito de escolha. “Há uma preocupação relacionada à informação que é disponibilizada para o consumidor que deseja contratar planos de saúde, especialmente porque se trata de um serviço complexo e com muitas especificidades, regido por lei e regulação próprias. O acesso a uma informação completa, clara e precisa pode evitar uma série de conflitos entre os usuários e as operadoras de planos de saúde”, afirma Christiane Cavassa, coordenadora da Promotoria de Defesa do Consumidor.
A diretora de Fiscalização da ANS, Simone Freire, ressalta que o material é mais um resultado do exitoso termo de cooperação firmado entre os dois órgãos. “Quanto mais informações os consumidores receberem, principalmente no momento da contratação do plano de saúde, menos conflitos surgirão nessa relação”, disse. (O SUL)

Tags

0 comentários: