segunda-feira, novembro 20, 2017

“Não acho difícil ganhar essas eleições”, disse Lula em congresso do PCdoB

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que “não vai ser difícil” ganhar as eleições presidenciais de 2018, mas defendeu uma mudança de estratégia dos partidos de esquerda para barrar as propostas do governo Michel Temer no Congresso. Ele avaliou que a oposição está “fragilizada” e lamentou que não tenha conseguido impedir o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a aprovação de propostas como a reforma trabalhista.
Durante o 14º Congresso do PCdoB, nesse domingo, Lula declarou que, se a oposição não tomar cuidado, a reforma da Previdência também acabará aprovada. “Não tenho mais idade de ficar criando movimento ‘fora Temer’ e ele estar dentro, de ficar gritando não vai ter golpe e ter golpe. Vamos ter que parar de gritar e evitar que isso aconteça mesmo. Isso não pode continuar acontecendo debaixo da nossa barba.”
Lula afirmou que o governo Michel Temer é “fraco”, mas conta com apoio da maioria do Congresso para defender “interesses do mercado”. “Os congressistas que estão votando pelo desmonte não têm compromisso conosco. Nunca vi tanto deputado reacionário, tanto troglodita, e se não tomarmos cuidado vai piorar na próxima eleição”, disse. Um militante da plateia gritou que a solução seria “pegar em armas”, e ele respondeu rindo que era melhor “nem falar isso”. “Eu não sei usar [armas].”
Em seu discurso, Lula voltou a desafiar os procuradores e o juiz federal Sérgio Moro “a provar um real de sua vida que não seja legal”. Para Lula, os investigadores inventaram mentiras sobre ele, e agora “não conseguem mais sair”. “Se tem político com rabo preso por causa do que a [Operação] Lava-Jato está fazendo, eu não tenho rabo para prender. Não estou acima da lei, só quero respeito”, disse.
“Quando a polícia entra na casa de alguém, adora mostrar dinheiro, joia, mas quando entra na minha e dos meus quatro filhos, revira tudo, levanta colchão, e não encontra nada, esses sacanas deveriam ter coragem de chamar a imprensa e dizer que na casa do Lula não tinha nada”, afirmou.
Ele disse não possuir os R$ 24 milhões que a Procuradoria da República pretende bloquear. Em pedido encaminhado à Justiça Federal, no âmbito da Operação Zelotes, na última quinta-feira, os procuradores pediram para confiscar R$ 21,4 milhões em bens do petista e mais R$ 2,5 milhões de seu filho, Luiz Cláudio. (Osul)

0 comentários: