quarta-feira, dezembro 20, 2017

Estados Unidos culpam a Coreia do Norte pelo ataque cibernético que neste ano infectou mais de 300 mil computadores em 150 países

O governo dos Estados Unidos culpou publicamente a Coreia do Norte por lançar o ataque cibernético promovido pelo vírus WannaCry, que em maio deste ano afetou hospitais, bancos e outras empresas de todo o mundo, incluindo o Brasil. Em um artigo publicado pelo The Wall Street Journal, o especialista Thomas Bossert – conselheiro de segurança nacional do governo de Donald Trump – garante não haver dúvidas de que o inimigo asiático está por trás do incidente.
Ele não apresenta provas, mas diz que o governo as possui após meses de investigação sobre o caso. Mais do que isso, Bossert afirma que as conclusões a que chegaram os órgãos de segurança dos Estados Unidos são apoiadas por outros países, como o Reino Unido, e também empresas de tecnologia como a Microsoft.
“O fato é que a Coreia do Norte vem se comportando especialmente mal, e em grande parte sem freios, há mais de uma década, e seu comportamento mal-intencionado está se tornando mais chocante”, escreveu Bossert. “O WannaCry foi produto de uma irresponsabilidade indiscriminada, disseminando-se rapidamente pelo mundo e infectando mais de 300 mil computadores em 150 países.”
De acordo com um funcionário de alto escalão do governo norte-americano, a Casa Branca deve levar a questão adiante, nos próximos dias, incluindo um comunicado mais formal em que reitera as acusações ao regime Pyongyang.
As autoridades norte-americanas verificaram, com “grau muito alto de confiança”, segundo elas, que uma entidade dedicada a ataques cibernéticos conhecida como “Grupo Lázaro”, que trabalha supostamente em nome do governo norte-coreano, realizou o ataque WannaCry. A informação é confirmada por funcionários que aceitam falar à imprensa mundial somente sob condição de anonimato.
Muitos pesquisadores de segurança dos Estados Unidos, incluindo a empresa Symantec, além do governo do Reino Unido, acreditam que o Grupo Lázaro também foi o responsável por uma invasão ao sistema da empresa Sony Pictures Entertainment, realizada em 2014. O incidente causou a destruição de arquivos, vazamento de comunicações corporativas na internet e levou à saída de vários executivos de primeiro escalão do estúdio.
Negativa
O país asiático vem negando repetidamente a responsabilidade pelo “WannaCry”, e classificou as alegações de ataques cibernéticos como “uma campanha de difamação” contra Pyongyang.
“A condenação pública de Washington não inclui nenhum indiciamento nem aponta indivíduos específicos”, rebateu um representante do ditador Kim Jong-un. Ele acrescentou que a atribuição de culpa foi concebida para responsabilizar Pyongyang por suas ações e “erodir e minar sua capacidade de lançar ataques”, sem especificar a qual tipo de ofensiva se referia.
A acusação, no entanto, vem em um momento de preocupação crescente com a habilidade norte-coreana de realizar invasões digitais e com seu programa de armas nucleares. (Osul)

Tags

0 comentários: