• O Departamento Estadual de Trânsito notifica os motoristas gaúchos que estão com o direito de dirigir suspenso

    Foto: Divulgação
    O Detran-RS (Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul) publicou no Diário Oficial do Estado editais notificando 914 condutores com o direito de dirigir suspenso no Estado. Esses motoristas não foram encontrados em três tentativas de entrega da notificação pelos Correios. A legislação prevê que eles sejam notificados da imposição da penalidade por edital público. Os motoristas têm 30 dias para apresentar recurso ou entregar a CNH (carteira nacional de habilitação) em um CFC (Centro de Formação de Condutores).
    O condutor pode ser suspenso quando somar mais de 20 pontos em infrações, mas também uma única infração pode gerar um processo de suspensão do direito de dirigir. O Código de Trânsito Brasileiro prevê a suspensão como penalidade para infrações como dirigir sob o efeito de álcool, ultrapassar a velocidade acima de 50% do limite permitido para a via, praticar rachas, furar blitz de trânsito, entre outras.
    Além dos editais de aplicação da penalidade de suspensão do direito de dirigir, também foram publicados editais de instauração desses processos, dando prazo para defesa. Os editais de notificação, que são publicados regularmente no Diário Oficial do Estado, também estão disponíveis no site www.detran.rs.gov.br, na seção Publicações Legais.  O condutor pode consultar a situação da sua CNH na página inicial do site do Detran-RS.
    Suspensos e cassados
    O Rio Grande do Sul possui atualmente mais de 107 mil condutores com o direito de dirigir suspenso ou cassado. Se esses motoristas quiserem voltar a dirigir, devem regularizar a situação da CNH. No caso de suspensão, devem cumprir o prazo determinado pela legislação, fazer o curso de reciclagem de condutores e a prova teórica.
    Acidentes com caminhões
    Entre os anos de 2014 e 2017, o Rio Grande do Sul registrou uma redução de 22,7% nos acidentes com morte envolvendo caminhões. O número passou de 437 acidentes em 2014 para 338 em 2017. O registro de vítimas fatais também caiu de 509 em 2014 para 395 em 2017. Os dados foram apresentados pelo Detran-RS na 20ª edição da Transposul – Feira e Congresso de Transporte e Logística, no final de junho no Fundaparque, em Bento Gonçalves.
    Do total de acidentes no período de quatro anos (1.531), 899 foram colisões frontais ou traseiras (58,7%). A estatística está associada a comportamentos de risco tais como ultrapassagens indevidas, excesso de velocidade e falta de distância de segurança. Considerando a participação das vítimas, do total de 1.792 mortes, 782 foram de condutores dos veículos envolvidos – não necessariamente dos caminhões – (43,6%), 356 eram passageiros desses veículos (19,9%) e 334 eram motociclistas (18,6%). Outros 203 eram pedestres que vieram a óbito (11,3%). (O SUL) 
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário