• A Apple se tornou a primeira empresa da história a atingir 1 trilhão de dólares em valor de mercado

    Foto: Reprodução
    A Apple se tornou a primeira empresa na História a atingir US$ 1 trilhão de valor de mercado, nesta quinta-feira (2). As ações da empresa do Vale do Silício subiram 2,8%, para US$ 207,05, elevando seu ganho para cerca de 9% desde terça-feira, quando a companhia divulgou resultados de junho acima das expectativas e disse que comprou US$ 20 bilhões de suas próprias ações.
    Este dado coroa a ascensão de uma década alimentada pelo onipresente iPhone, produto que a transformou de um nicho em computadores pessoais em uma potência global que abrange entretenimento e comunicações.
    Iniciado na garagem do co-fundador Steve Jobs em 1976, a Apple elevou sua receita além das saídas econômicas de Portugal, Nova Zelândia e outros países. Ao longo do caminho, mudou a forma como os consumidores se conectam uns com os outros e como as empresas conduzem o comércio diário.
    As ações do Vale do Silício aumentaram mais de 50.000% desde sua oferta pública inicial em 1980, diminuindo o aumento de aproximadamente 2.000% do S&P 500 (índice da Bolsa dos EUA) durante as mesmas quase quatro décadas.
    Uma das cinco empresas americanas desde a década de 1980 a assumir a posição de maior empresa de Wall Street por capitalização de mercado, a Apple pode perder sua liderança para empresas como Alphabet ou Amazon.com se não encontrar um grande produto ou serviço como demanda para smartphones.
    Comemoração
    “Ficamos felizes em anunciar o melhor trimestre concluído em junho da Apple e o quarto trimestre consecutivo de crescimento de dois dígitos na receita”, disse seu CEO, Tim Cook. Os resultados positivos da Apple aparecem em um momento em que as ações das companhias de tecnologia estão em dificuldades – especialmente após os resultados decepcionantes da rede social Facebook, cujas ações caíram 20% desde que revelou seus dados trimestrais.
    A empresa, que busca se diversificar para não depender tanto do iPhone, teve um aumento de 31%, a US$ 11,5 bilhões, nas receitas provenientes de serviços como iTunes Store, Apple Music, Apple Pay, entre outros. Os mercados estavam muito atentos à possibilidade de encontrar prejuízos na Apple por causa da guerra comercial entre os Estados Unidos e a China – um dos principais mercados da empresa da maçã, do qual depende muito.
    Além de fornecer uma receita de US$ 9,5 bilhões no trimestre, a Apple monta na China a maioria de seus aparelhos. Cook disse que até agora os produtos da Apple não se viram diretamente afetados, e que a companhia está avaliando as medidas tomadas por Trump. “Nossa opinião sobre as tarifas é de que se mostram como um imposto sobre o consumidor e geram menor crescimento econômico e, em algumas ocasiões, podem gerar um risco significativo de consequências não desejadas”, disse o chefe da companhia. (O SUL)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário