• Projeto Lixo Zero é apresentado em Uruguaiana

    Na manhã desta segunda-feira (10), o prefeito Ronnie Mello e a diretora de Meio Ambiente, Sheila Ripoll, participaram de uma teleconferência com a bióloga Karina Concatto, que de Caxias do Sul, repassou detalhes sobre uma nova dinâmica de funcionamento de um importante projeto voltado à educação ambiental, o “Municípios Lixo Zero”.  
    Através de um APP (aplicativo móvel, que é um software desenvolvido para ser instalado em um telefone celular), a população poderá contribuir e, ao mesmo tempo, participar de uma nova realidade em torno do meio-ambiente, gerando com isso, uma solução harmônica para os vários problemas relacionados ao lixo e a melhor maneira para serem realizados os descartes. 
    A ideia central do projeto é a organização das ofertas de resíduos gerados pela população, que poderão se transformar em recursos de uma forma rápida e eficiente.
    O processo visa melhorar cada vez mais a forma como a população local descarta seus resíduos, incentivando a participação de todos através de promoções, utilizando plataformas interativas como a da tecnologia. “É necessário buscar meios para que todos possam participar e gerar avanços para a nossa comunidade. Com essa estratégia, todos ganham e o município avança no processo de melhorar ainda mais o tratamento de seu lixo”, explica o prefeito Ronnie Mello. 
    O projeto “Municípios Lixo Zero”, tem como principais benefícios diretos com a sua implantação a redução de doenças transmitidas por animais e insetos; a educação imediata da população usuária visando a forma correta de separação e descarte do lixo; o aumento do nível de educação ambiental da população; e redução da possibilidade de contaminação de lençóis freáticos e rios.
    Através do APP, a população poderá avisar as centrais de coleta e associações de catadores, que tipo de resíduo possui para descarte e o volume. Desta forma, os responsáveis pela coleta poderão mensurar através de um mapa, qual a demanda do dia, os bairros com maiores volumes e organizarem a rota de recolhimento. “Diminuindo assim, grande parte dos resíduos recicláveis que acabam indo indevidamente para o aterro sanitário, junto com o lixo residencial”, explica o prefeito Ronnie Mello. (PMU)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário