• Saiba qual é a curiosa razão por que o relógio sempre marca 9:41 nos anúncios da Apple

    Foto: Divulgação
    Na Apple, nada é por acaso, nem mesmo o que aparece nas telas dos dispositivos de suas imagens publicitárias. Está lá, na página oficial da companhia – e não é a maçãzinha que simboliza a marca.
    Todo aparelho traz no relógio o horário 9h41min. Sempre. Esse é o número que aparece também nos comerciais da empresa, tanto on-line quanto nos jornais e na televisão.
    O motivo foi revelado recentemente por um antigo desenvolvedor do sistema iOS da Apple, Scott Forstall, a Jon Manning, outro desenvolvedor que trabalha para a empresa Secret Lab, na Austrália.
    Tudo planejado
    “Planejamos as apresentações de novos produtos para que a grande revelação ocorra aos 40 minutos”, disse Forstall.
    “Quando aparece a imagem grande do aparelho na tela, queremos que o tempo marcado lá seja o mesmo do relógio do público. Mas sabemos que não acertaremos exatamente 40 minutos.”
    Por exemplo, na apresentação dos primeiros iPhones, a hora que aparecia nas imagens de promoção era 9h42min, porque o anúncio foi feito 42 minutos depois de o evento ter começado, e não 40, como estava previsto.
    A hora mudou para as 9h41min quando, em 2010, foram apresentados os primeiros iPads, e o nome do primeiro tablet foi revelado nesse horário. É a que permanece até hoje.
    Nem todas as apresentações da Apple são feitas às 9h, por isso, nem todas as suas novidades são anunciadas às 9h41min.
    Na verdade, na última, em que foi apresentado o novo iPhone XS e o iWatch, a imprensa havia sido chamada às 10h. O anúncio foi, portanto, às 10h41min, e não às 9h41min.
    Mas esse horário especial também tem sua razão de ser.
    Foi às 9h de 9 de janeiro de 2007 que Steve Jobs apresentou um produto inovador que daria um novo impulso à empresa da maçã.
    “Hoje a Apple vai reinventar o futuro do telefone”, disse Jobs, mostrando pela primeira vez o primeiro iPhone da história, alguns segundos depois das 9h40min.
    iPhones do Brasil
    A Apple homologará os iPhones XS e XS Max europeus no Brasil. A empresa confirmou a informação na página dos produtos no País, listando-os como as versões A2097 e A2101, respectivamente, que são totalmente compatíveis com o 4G brasileiro. Apesar disso, os telefones ainda seguem sem previsão oficial de lançamento.
    Embora a Apple fale de apenas de dois a três modelos de iPhones no evento de lançamento, a empresa fabrica diferentes versões de cada aparelho para os países onde serão lançados. As principais especificações, como processadores e memória RAM são as mesmas, mas há pequenas diferenças no que diz respeito à conectividade. É esse ponto que causou um grande burburinho na última semana.
    Logo após a apresentação do iPhone XS e XS Max, a Apple atualizou sua página de suporte à conectividade LTE com os modelos e bandas que serão suportadas em cada país de lançamento. Para a decepção de alguns consumidores, as versões dos Estados Unidos (A1920 e A1921) não serão compatíveis com a banda 28 (700 MHZ ATP) utilizada no Brasil. Quem quisesse total compatibilidade, teria que comprar as versões da Europa: A 2097 e A2101.
    Voltando ao Brasil, a companhia finalmente atualizou a página de especificações do iPhone XS e XS Max que serão vendidos no País. Agora, no item de redes celular e conexão sem fio, a companhia revela que os modelos que serão vendidos no Brasil serão os mesmos da Europa: o A2097 e o A2101. O mesmo pode ser observado na página sobre o iPhone XR: o produto que será homologado é o europeu, A2105, e não o norte-americano, A1984.
    A princípio, nada. Nenhuma das versões do iPhone vendidas pela Apple ao redor do mundo tem diferenças consideráveis de funções e especificações. Ou seja, o telefone brasileiro terá o mesmo desempenho e recursos encontrados no modelo norte-americano. Da mesma forma, o telefone funcionará em outros países, embora possa ocorrer incompatibilidades com redes 4G em localidades específicas do planeta.
    Por outro lado, a confirmação do iPhone europeu no Brasil praticamente descarta um recurso bastante aguardado pelo usuário: o dual-chip físico. Até o momento, a Apple confirmou que apenas os telefones vendidos na China (modelos A2100 e A2104) terão gavetas para dois SIM. Já os demais terão que apelar para tecnologia e-SIM, que cria um chip virtual para a segunda linha. (O SUL)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário