• Protestos gerados por boatos têm ônibus apedrejados e prisões em Porto Alegre

    Foto: Fabiano do Amaral
    Após uma tentativa de invasão de uma delegacia por conta de um boato relacionado à prisão de um homem suspeito de tentar sequestrar uma menina no bairro Chico Mendes, na zona Norte de Porto Alegre, a noite na região foi marcada por tensão e novos protestos. Segundo informações da Brigada Militar (BM), dois ônibus foram apedrejados e três pessoas foram presas. 
    A rua Regina de Araújo Rocha, onde fica a 18ª Delegacia de Polícia, havia sido isolada no final da tarde, mas mesmo assim houve confronto entre manifestantes e policiais militares. Integrantes do Batalhão de Operações Especiais (BOE) se posicionaram na esquina da rua Eli Corrêa com a avenida Protásio Alves porque foram informados de uma suposta tentativa de bloqueio do local.  
    Em outras partes da zona Norte, o Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) entrou em confronto com manifestantes, lançando bombas de efeito moral. Integrantes dos protestos corriam para locais seguros e, pouco depois, voltavam para perto dos policiais para arremessar pedras. 
    O comandante do policiamento na Capital, tenente-coronel André Córdova, afirmou que a BM evitou que outros cinco coletivos fossem apedrejados. Em outro local da manifestação, na avenida Manoel Elias, próximo à Faculdade Porto-Alegrense (Fapa), tiros teriam sido disparados contra viaturas da BM. Os policiais cercaram a região por mais de uma hora. Por volta das 23h, o trânsito foi liberado. 
    Suposta tentativa de sequestro e início da tensão 
    Os confrontos da tarde e noite desta terça-feira na zona Norte da Capital, nos bairros Mario Quintana e Chico Mendes, foram reflexos de um boato que indicava a tentativa de sequestro de uma menina. As informações davam conta de que a mãe da garota teria lutado com o criminoso, que fugiu.  
    Mais tarde, em algumas redes sociais, surgiu a notícia de que o suspeito havia sido preso pela BM e que havia sido levado à 18ª Delegacia de Polícia, situada na Vila Safira. Logo depois, às 15h30min, uma multidão se reuniu em frente ao prédio policial, exigindo que o suposto sequestrador fosse "entregue" à população. 
    Policiais que estavam no local afirmaram que não prenderam um homem por tentativa de sequestro e relataram que nem tinham registro de ocorrência do fato. A negativa, no entanto, não convenceu o grupo de pessoas, que cresceu com o passar das horas. Perto das 17h, a delegacia foi alvo de uma tentativa de invasão, marcando o início dos protestos que foram realizados durante a noite.  (Correio do Povo)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário