• Uma mulher esfaqueou 14 crianças em um jardim de infância na China

    Foto: Reprodução
    Uma mulher atacou e feriu 14 crianças com uma faca em um jardim de infância na província de Sichuan, no Sudoeste da China, informaram autoridades locais nesta sexta-feira (26).
    A agressora, de 39 anos, usou uma faca de cozinha para atacar as crianças quando elas retornavam para a sala de aula após exercícios matinais, afirmou o Departamento de Segurança Pública do distrito de Banan, na cidade de Chongqing.
    Imagens e vídeos divulgados em sites de notícias mostram as crianças com as roupas manchadas de sangue e alunos feridos no rosto. Depois que a polícia chegou ao local, as crianças foram retiradas para receber atendimento médico. A mulher que cometeu o ataque foi presa. A polícia abriu uma investigação sobre o caso.
    Ataques
    A China registrou vários ataques com facas contra estudantes nos últimos anos, alguns deles com vítimas fatais. Em abril, um homem de 28 anos matou nove estudantes do ensino médio quando eles retornavam para casa. O assassino, que disse que havia sofrido bullying quando estava na escola, foi executado em setembro.
    Em janeiro de 2017, um homem armado com uma faca feriu 11 crianças em um jardim de infância na região autônoma do Sul de Guangxi Zhuang. Os ataques com facas obrigaram as autoridades a aumentar a segurança nas escolas e reforçaram os pedidos de investigações exaustivas sobre as causas do problema.
    Os crimes violentos aumentaram na China nas últimas décadas à medida que a economia do país avançava, o que ampliou a brecha entre ricos e pobres. Os estudos também apontam o aumento de transtornos mentais, alguns deles relacionados com o estresse associado ao ritmo de vida. Embora a China tente manter a sua imagem de um país seguro, os ataques com faca às escolas são comuns.
    Acordos
    Representantes dos governos da China e do Japão assinaram nesta sexta-feira, em Pequim, dez acordos para fortalecer a cooperação bilateral em diferentes áreas como finanças e comércio, e reafirmaram o compromisso para trabalhar em conjunto para conseguir a estabilidade na região.
    O primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, e o premiê japonês, Shinzo Abe, se reuniram no Grande Palácio do Povo, onde participaram de uma cerimônia de boas-vindas e assinaram acordos de cooperação ao lado de outros membros dos seus respectivos governos.
    No segundo dia da visita oficial de Abe, a primeira feita por um chefe de governo japonês à China nos últimos sete anos, ele destacou o acordo alcançado entre o Banco Popular da China e o Banco do Japão para fortalecer a cooperação e melhorar a estabilidade financeira dos dois países.
    Até o dia 25 de outubro de 2021, eles concordaram em trocar moedas locais entre as duas entidades de até de 200 bilhões de iuanes (cerca de US$ 28,7 bilhões), segundo informou o Banco do Japão, através de um comunicado. (O SUL)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário