• Na “maior final de todos os tempos”, Boca Juniors e River Plate empataram em 2 a 2 o jogo de ida da decisão da Libertadores

    Foto: Reprodução
    Em duelo disputado na tarde desse domingo em Buenos Aires, o Boca Juniors empatou em 2 a 2 com o River Plate no estádio La Bombonera o jogo de ida das finais da Copa Libertadores da América. Com esse resultado, ambas as equipes decidirão em igualdade a mais importante competição continental no Monumental de Núnez, no dia 24 deste mês – sem o saldo qualificado, em caso de nova igualdade o título será definido nos pênaltis.
    O placar da “maior final de todos os tempos” foi aberto por Ramon Ábila aos 33 minutos do primeiro tempo e Lucas Pratto igualou tudo dois minutos depois. Benedetto recolocou o Boca à frente aos 45 do primeiro tempo e Izquierdoz, contra, decretou o empate aos 15 minutos da segunda etapa.
    A partida, prevista inicialmente para o sábado, havia sido adiada devido ao meu tempo à forte tempestade que havia atingido a capital argentina. A meteorologia também indicava possível chuva para este domingo, mas a previsão não se confirmou durante os 90 minutos.
    Escalações
    Sob o comando de Guillermo Schelotto, o Boca Juniors colocou em campo Rossi, Jara (Buffarini), Magallán, Izquierdoz, Olaza, Pérez, Barrios, Nández, Pavón (Benedetto), Ábila e Villa (Tévez).
    Já o River Plate do técnico ocasional Matías Biscay (o titular Marcelo Gallardo cumpriu suspensão) escalou Armani, Montiel, Maidana, Martinez (Ignacio), Fernández, Pinola, Casco, Enzo Pérez (Zuculini), Ezequiel Palacios, Gonzalo “Pity” Martínez (Quintero), Borré e Lucas Pratto.
    O jogo

    As imagens aéreas do La Bombonera deixaram claro que não caberia qualquer pessoa extra ali. A festa começou com sinalizadores, fumaça, cantoria e bateria constante. A partida começou com o Boca Juniors pedindo pênalti após suposto toque de mão de um defensor do River.

    O lance no primeiro minuto deu a impressão de que este seria um jogo pautado por grandes polêmicas de arbitragem, mas a previsão inicial não se concretizou. Não houve interferência do VAR (o árbitro de vídeo) em decisões do trio de arbitragem chileno.
    Os visitantes foram mais incisivos na primeira etapa, mas o Boca saiu na frente com gol de Ramón Ábila (ex-Cruzeiro-MG) aos 33 minutos, em chute de esquerda que contou com a colaboração do goleiro Armani. Aos 35, o River empatou com Lucas Pratto (ex-Atlético-MG e São Paulo), em bela finalização de pé direito.
    O Boca voltou à frente com o seu “amuleto” no torneio: Darío Benedetto (que havia decidido a semifinal contra o Palmeiras) entrou no lugar do lesionado Pavón e marcou, de cabeça: 2 a 1. O River voltou deixar tudo igual aos 15 minutos da segunda etapa, após dividida que terminou com gol-contra de Izquierdóz. Os anfitriões ainda tiveram a bola do jogo no fim, quando Carlitos Tevez deixou Benedetto de frente para o gol, mas Armani evitou a vitória do Boca. (O SUL)
  • You might also like

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário