MANEJO: AUMENTO DA TAXA DE PRENHEZ EM MAIS DE 20%


Fazendas do Pantanal tem utilizado a técnica da desmama precoce para poder aumentar a taxa de prenhez em mais de 20%; EM ALGUNS LOTES, A TAXA DE PRENHEZ CHEGOU A 94%, REPRESENTANDO SALTOS SUPERIORES A 25%. Saiba como! 

Nesta segunda, 1º de abril, foi exibida uma entrevista no programa Giro do Boi do Canal Rural com a pesquisadora da Embrapa Pantanal, com sede em Corumbá-MS, Juliana Corrêa Borges Silva, médica veterinária, doutora em ciências agrárias e pós-doutora em ciência animal. Ela revelou as descobertas do programa de pesquisa Mais Precoce, que é composto por estudos conduzidos por outros dois projetos, o Mais Cria e o Mais Engorda, com o objetivo de fechar a cadeia produtiva com a produção de um animal de mais qualidade de carcaça e produtividade.

O programa desempenha um importante papel no desenvolvimento do Pantanal, bioma que conta com um rebanho estimado em 3,8 milhões de cabeças, sendo 2 milhões de matrizes e produção anual de cerca de 1 milhão de bezerros.

Com fatores limitantes para a reprodução, como disponibilidade de forragem, pesquisadores estudaram a relação entre a desmama precoce de bezerros, feita com até 110 dias, e o aumento dos números da estação de monta. Os resultados da pesquisa foram constatados na concepção das matrizes em uma fazenda que participou do projeto. 


Com mais tempo para as fêmeas recuperarem sua condição de carcaça, a taxa de prenhez passou de 72% para 92%. Em alguns lotes, a taxa de prenhez chegou a 94%, representando saltos superiores a 25%.

A pesquisadora reforçou que a IATF é imprescindível para alcançar os resultados desejados e, ainda, que a qualidade da genética utilizada nesta inseminação também é essencial para o aumento de produtividade. (Giro do BOI/Canal Rural)


Postar um comentário

My Instagram

Designed by OddThemes | Distributed by Blogger Themes